Coluna das Gêmeas #148 – Regressos
Sunday 08/12/2013 às 15:00 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Oi pessoal! Como estão todos? Ficamos um tempo sem aparecer porque sério: que final de semestre mais corrido e cheio de coisa! Eu, por exemplo, fiquei três semanas fazendo prova e mais uma semana arrumando um relatório de uma empresa de treinamento, de uma das aulas que tenho em Administração. É cansativo, não é fácil, você se estressa mil vezes… Mas, no final, fica aquele sentimento bom de trabalho feito! E como comemorar? FÉRIAS, MINHA GENTE! Nada como voltar à rotina acordar + comer + ler + comer + ler + dormir! E agora está ainda mais legal porque ganhamos de Natal, adiantado dos meus pais, um Kindle! :26 É TÃO LINDO! Já estou no segundo livro nele, e ontem a Tatiana terminou o primeiro! Para completar, começamos a frequentar a academia, que antes parecia ser um tédio, mas é divertido! Você fica com a sensação de que um caminhão passou por cima de você nos primeiros dias, mas ao mesmo tempo sabe que está fazendo algo pelo corpo!
Voltar a essa rotina de férias foi o que nos inspirou a fazer a coluna de hoje. Muita gente regressa para algo – seja para uma casa que morou na infância, a cidade natal (nós já fizemos isso, e foi uma experiência esclarecedora, porque percebemos o quanto não temos nada a ver com a cidade), a um amor… E, de certa forma, é o que estamos fazendo agora com o blog, porque com toda a correria com a faculdade nos impediu de dedicarmos mais tempo à coluna.
Espero que gostem e até semana que vem! :31

O Solteirão – Carly Phillips

O_SOLTEIRAO_1267278414P Este é o primeiro livro da trilogia dos Irmãos Chandler e o único que eu li, até agora – sim, por mais que eu seja doida pra terminar de ler essa série, eu simplesmente não tenho tempo pra terminar tudo -, mas espero mudar isso ainda nessas férias! A série tem uma pitada de Nora Roberts em seus romances, mas acredito que esses livros se encaixem melhor na categoria de chick-lit mesmo – o que é ótimo, já que eu gosto de ambos gêneros! Enfim, somos apresentados à Raina Chandler, uma mãe de família que é completamente louca pelos seus três filhos e que espera, com ainda mais paixão, que eles se casem e criem suas famílias. Eu acho esse negócio de querer que os filhos se casem um pouco estranho, principalmente porque tanto eu quanto a Fernanda vivemos um pouco disso em casa – mas não tanto, já que ainda somos novas e tal. De qualquer forma, acredito que os pais ficam loucos para os seus filhos se casarem não só pra aumentar a família e etc, mas porque eles realmente acreditam que a família é algo maravilhoso e que eles têm que conhecer. E no caso desses três homens, a pressão é tanta que a vida de um está prestes a mudar, tudo porque depois de um “ataque cardíaco” de Raina, eles decidem que um deles terá que se casar para não deixar que a mãe morra sem ver pelo menos um deles realizando seu sonho. Na hora do sorteio (!!!! SIM, ELES FAZEM UM SORTEIO!!!), Romam é o felizardo, o que, para ele, não é nada legal: ele terá que largar sua vida de jornalista correspondente para se reestabelecer na sua cidade natal e casar com alguma mulher que seja capaz de dar os netos que Raina tanto quer.
O problema é que, nessa busca por uma esposa em potencial, ele acaba reencontrando Charlotte Bronson, a única mulher que realmente amou, mas que o deixou sozinho. Então Roman decide, além de procurar uma esposa, resolver a história mal terminada de tantos anos, ao mesmo tempo. Será que ele vai acabar transformando os dois objetivos num só? Será que ele vai acabar mudando de opinião quanto ao que realmente quer da vida? Só posso dizer que, apesar de ser um pouco previsível, eu gostei MUITO do clima que a Carly Philliips criou para a família e a cidade em si! Recomendo!

O Retorno de Rafe Mackade – Nora Roberts

O_RETORNO_DE_RAFE_MACKADE_1351186149P
Esse livro, pra mim, é um clássico. Acho que foi a primeira série que eu li da Nora Roberts (apesar de que o primeiro livro dela que eu li foi Paixão Obscura e ele é o último da Série Noturna, mas até então os outros livros da série não tinham sido lançados por aqui – aliás, CADÊ o primeiro livro, que fora publicado tem muuuitos anos e nunca teve nenhuma reedição??) e, sério mesmo, é uma das minhas preferidas. A história é bem curta (como se pode ver pela edição de banca), mas a série toda é muito boa de ler. Aliás, pra quem gosta da história americana, esse livro proporciona uma visão muito bacana de como foi a Guerra de Secessão (uma das que eu mais gosto de estudar), na minha opinião. Mas vamos falar da história em si, e não da Guerra: Rafe Mackade e seus irmãos eram muito populares na cidade de Antietam quando mais novos, mas Rafe acaba partindo para buscar seus sonhos, deixando a mulherada com apenas três opções lindas – aliás, já falei que os quatro são todos pedaços de mau caminho?? Pois é, é claro que tinham que ser.
Mas enfim, 10 anos se passam e Rafe decide voltar pra cidade, disposto a reformar a tão querida Mansão Barlow, que era considerada mal-assombrada pelos fantasmas da Guerra de Secessão, e para deixá-la conforme fora em seu auge, ele conta com a ajuda de Regan Bishop, uma mulher muito interessante que é dona de um ótimo antiquário na cidade. Acho que, por se tratar de Nora Roberts, todos aqui já devem saber que um romance vai acontecer entre esses dois (juro que isso não é spoiler!), mas ainda que ele caia na mesma receita da autora, não tem como não gostar dele! Ele é bem rebelde, assim como a Regan, e as faíscas que os dois emanam vão para todos os lados! Outra coisa muito interessante nessa série é o relacionamento entre os irmãos, que apesar de terem suas diferenças, são muito unidos e estão sempre se apoiando uns nos outros. Eu gosto muito dessas relações familiares e do clima de cidade pequena que só a Nora consegue nos envolver, principalmente porque ela é uma das únicas que me deixam realmente curiosa por viver em uma cidade pequena! Hahahahaha Portanto, é um livro que eu indico bastante! Ah! E a série foi toda relançada esse ano, com capas bem diferentes desta edição! Nem preciso dizer que preciso de todas elas, não é?

De Volta Para Casa – Karen White

DE_VOLTA_PARA_CASA_1368458975P Sei que falamos desse livro tem pouco tempo, mas posso surtar com ele mais um pouquinho? Eu quero muito saber qual será o desenrolar dessa história, que além de ter me chamado muito a atenção pelo plot que lembra os dramas de novelas mexicanas, tem a capa linda – e sim, eu sou facilmente vendida por capas bonitas! Hahahahaha Além disso, o subtítulo dele é bem apelativo – “Até onde é possível apagar as lembranças?” me faz pensar não só em um grande drama, mas também no desenvolvimento do processo de perdão, que muitas vezes leva anos pra se concluir! Claro que existem coisas que são muito difíceis de serem perdoadas, mas convenhamos: carregar o peso de uma desilusão é quase tão ruim quanto carregar, nas suas mãos, o poder de resolução de um problema – afinal de contas, são as duas partes que acabam saindo feridas de uma briga. No caso de Cassie, a grande desilusão pela qual teve que passar foi a traição de seu amor, Joe, com a sua irmã, Harriet, que foi capaz de lhe dar forças para sair de sua cidade na Geórgia e ir para Nova York começar uma nova vida, longe de todos aqueles que tanto lhe magoaram. Entretanto, um telefonema de sua irmã acaba colocando todas as suas mágoas por terra – seu pai está muito doente e precisa dela ao seu lado. E por mais que ela lute contra, não consegue não se sentir em casa quando volta.
Eu quero MUITO saber como será a reação dela quando reencontrar a família que Harriet e o Joe formaram e quando se deparar com aquela mesma família que lhe traiu! Quer dizer, quem não ficaria curioso, não é mesmo? Sem contar que são nessas ocasiões que as pessoas acabam aprendendo as lições mais valiosas, então quero não só que ela perdoe o que aconteceu no passado, mas que aprenda a amar e a confiar nos outros novamente!

Persuasão – Jane Austen

PERSUASAO_1335748952P Persuasão está ao lado de Orgulho e Preconceito na posição de livro favorito de todos os tempos, apesar de me sentir traindo o Darcy – mas como poderia ser diferente? Vocês já leram? Conhecem o Capitão Wentworth? POIS É.
Anne Elliot, quando tinha 19 anos, se apaixonou pelo ambicioso jovem capitão da marinha, Frederick Wentworth, mas como sua família não concorda com a relação (muito menos sua grande amiga), ela rompe a relação e ele vai para o mar. Oito anos depois ele está de volta, com influência, status e muito bem de vida, cortejando Louisa Musgrove, a filha da vizinha de sua irmã mais nova. Apesar de todos esses anos ela ainda não esqueceu seu grande amor, mas precisa conviver com esse homem que demonstra sentir por ela um pouco de raiva e desprezo, e que com certeza continuou sua vida sem se lembrar dela.
Preciso comentar algumas coisas sobre esse livro. Primeiro: eu DETESTO a família da Anne. Segundo: Wentworth é lindo demais, não só na aparência, mas no seu jeito de ser. Terceiro: eu fico abismada como ela conseguiu ser persuadida a se separar do grande amor porque todos os outros eram contra – apesar de entender que, na época, não dava para simplesmente dar as costas à opinião da família – porque não estamos falando de qualquer homem, é simplesmente FREDERICK. LINDO. WENTWORTH.
A adaptação feita pela BBC é muito boa e fiel ao livro, se vocês quiserem conferir! Acho que a atriz que faz a Anne é perfeita para o papel!

A Vingança Veste Prada: O Demônio Está de Volta – Laura Weisberger

A_VINGANCA_VESTE_PRADA_1374734863P Como não conhecer pelo menos um pouco da história de O Diabo Veste Prada, imortalizada pela excelente Meryl Streep? Sério, não tem com a Miranda Priestly ter outra cara a não ser a dela! E depois do sucesso que foi o livro e o filme (apesar de mudarem algumas coisas – como o final, que eu prefiro o do livro), foi lançado esse ano a sequência do livro! E SIM, MEUS SENHORES, MIRANDA IS BACK.
Já se passaram quase dez anos do fatídico momento em que Andrea Sachs decide abandonar a revista Runway, e agora ela é uma editora bem-sucedida de uma revista de luxo sobre casamentos, chamada Plunge. Quem trabalha com ela é sua antiga colega de trabalho Emily, que por um acaso agora é sua melhor amiga e, além de todo o sucesso, ainda está prestes a se casar com um dos solteiros mais cobiçados de Nova York.
Porém, uma semana antes do casamento, aquela-que-não-deve-ser-nomeada volta a assombrá-la, porque agora ela é diretora do grupo editorial Elias-Clark, que vê na revista um excelente investimento. Assim, Miranda quer marcar uma entrevista com a diretora da Plunge, para comprar a empresa – mas, se Andy vai aceitar ou não, e se ela vai se mostrar disposta a reencontrar Miranda, só lendo para saber!
Eu preciso saber como essa história vai terminar, sem dúvida! Se eu estivesse no lugar da Andy… Bom, não seria muito bom voltar a ver a Miranda (ainda mais depois do jeito como as coisas terminaram), mas ainda assim é válido ouvir a proposta do outro, certo? Nem sei como iria agir se fosse a Andy – até porque, se eu fosse ela, nem sei se teria aguentado passar por tudo aquilo que ela passou, porque provavelmente teria pedido demissão muuuuito antes de todo aquele rolo em Paris.

4 comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #147 – Últimas
Sunday 10/11/2013 às 10:01 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Por mais que esse título esteja parecendo um prenúncio de despedida, tenho que deixar claro que não estamos nos despedindo – aliás, como deixar de amar falar sobre livros, não é mesmo? Mas quando eu penso em últimas oportunidades, últimas chances, aquela sensação de nostalgia e de ansiedade parece tomar conta de mim. Seria por medo da mudança que uma decisão pode levar? Sinceramente não gosto muito de pensar que as mudanças trarão consequências ruins, mas tenho que admitir que não posso simplesmente deixar de considerar essa possibilidade. Então, os livros dessa semana mostrarão que quando estamos a ponto de tomarmos uma decisão a respeito de algo, nunca podemos ter certeza absoluta do que pode acontecer depois!
Tenham uma ótima semana!

A Última Princesa – Fábio Yabu

A_LTIMA_PRINCESA_1334361280P A Última Princesa já foi resenhado pela Pri aqui no blog, e conta a história de uma jovem princesa que foi banida de seu reino por causa de uma maldição de um feiticeiro, e tudo porque ela lutava pela libertação de escravos. Na infância, ela teve um amigo chamado Gamba, que até então para ela era um empregado no castelo, mas com o tempo descobriu a real situação não só dele, mas de boa parte de todas as pessoas presentes lá dentro. Ela foi proibida de se misturar com Gamba pelo cruel Barão e, depois de crescer e se casar com um ex-general, pediu de presente de casamento que seu pai libertasse dez escravos, entre eles Gamba. Isso despertou a ira de muitas pessoas (incluindo o Barão), e por isso foi enviada a um Palácio de Cristal. Um novo mundo lhe é apresentado pelo inventor aventureiro Alberto, que sonha em construir uma Ave de Rapina, máquina voadora que a levaria de volta ao seu reino.
Essa capa do livro é linda demais! Sério, e a história parece muito legal, esse negócio de ter que enfrentar as pessoas de seu reino para seguir um ideal é uma coisa bem moderna para alguém da realeza, porque como existem todas aquelas expectativas criadas para eles e todo aquele senso do que deve ser feito, fica meio difícil lutar contra uma instituição da sociedade. O mais legal é que parece que essa amizade com o Alberto a ajuda a nunca desistir e enfrentar seus medos, coisa que nem sempre encontramos por aí.

A Última Nota – Felipe Colbert e Lu Piras

A_LTIMA_NOTA_1352241875P O violino é um dos instrumentos mais fascinantes que eu conheço. Acho lindo demais quando uma pessoa toca, o som é delicado, prende a sua atenção… É um dos instrumentos que gostaria de saber tocar, mas fica a dúvida: dá dor no pescoço? Porque você sempre fica inclinado… Mas então, Alícia Mastropoulos não teve essa dúvida que eu tive e sempre tocou violino. Quando ela se apresenta pela primeira vez como a principal violinista na Orquestra da universidade que estuda, em vez de tocar a música programada, ela decide tocar uma composição inédita deixada por seu falecido avô. Erra a última nota,mas ninguém parece perceber.
Já no dia seguinte, ela recebe a notícia que um jovem foi encontrado no coreto próximo ao local da apresentação e levado ao hospital. Ao acordar, ele não se lembra de nada e ainda por cima apenas chama pelo nome dela! A aproximação dos dois é inevitável, mesmo ela querendo se manter afastada, ainda mais porque está noiva de Theo. Sua avó, para complicar ainda mais, decide hospedar o rapaz e deu-lhe o nome de Sebastian. Para tentar contornar a situação, ela decide apreçar o noivado com o namorado – para a satisfação de seus pais, porque é a união de duas famílias tradicionais gregas. Mas aos poucos ela se descobre intensamente atraída pelo desconhecido, que a levará a entender o mistério que o envolve, resgatar histórias do passado e até a tomar importantes decisões para o seu futuro.
Como não desejar ler esse livro? Sério, eu preciso descobrir qual é o segredo desse moço lindo de olhos azuis, quero saber qual será o final da Alícia, quero saber como foi tocar a música deixada por seu avô… Sem contar que eu adoro histórias que envolvem gregos. É uma língua tão diferente de todas as outras! Eu tava olhando no site do MEC e dá pra fazer o curso de Letras na UFMG com formação em português e grego! Mais uma graduação na lista de desejadas (que envolvem Hotelaria, Teatro – para dublagem, Jornalismo, Direito…).

A Última Carta de Amor – Jojo Moyes

A_ULTIMA_CARTA_DE_AMOR_1333392040P Tenho uma amiga que AMA Londres de paixão e acha até que nasceu no país errado – e eu sei totalmente como é essa sensação, já que me sinto da mesma forma com Nova York. Mas enfim, eu vivo perdida nos meus devaneios sobre como é viver lá, virar uma “nativa” e ter uma rotina bacana, me sentindo feliz da vida. Mas nunca parei pra pensar como deveria ser a vida na cidade há cinquenta anos, já que MUITA coisa muda nesse tempo todo. Aliás, as coisas podem mudar num piscar de olhos, não é mesmo? No caso de Jennifer Stirling, que vive na Londres dos anos 60, ela simplesmente acorda um dia em um hospital, sem se lembrar de nada. Conforme o tempo vai passando e ela volta pra sua casa, as tentativas de recuperar sua memória vão se tornando cada vez mais frustradas, mesmo com a ajuda de seu marido e de amigos, que estão sempre por perto. Aliás, ela sente falta de alguma coisa, mas não sabe o que é. Tudo isso muda quando ela descobre várias cartas de amor para ela, de um/uma tal “B”, que deveria ser alguém muito importante mesmo, a ponto dela estar disposta a deixar tudo para trás para ficar com ele/ela.
Daí você fica agora pensando: “nossa, eu quero saber o que aconteceu, se ela vai recuperar a memória e ir atrás desse/dessa ‘B’!” Pois bem. Nós não acompanharemos essa história, somente, porque nos dias de hoje, Ellie Haworth encontra uma dessas cartas e decide descobrir o que realmente aconteceu – ou seja, nós descobriremos tudo (ufa!), mas junto com a Ellie! ISSO É MUITO EMPOLGANTE! Pode me dizer a verdade: você também ficou curioso, não é mesmo?

A Última Música – Nicholas Sparks

A_LTIMA_MUSICA_1323432216P Claro que eu tinha que falar sobre esse livro ao som de When I Look At You, da Miley Cyrus! Não estou aqui pra falar sobre a carreira dela como cantora/atriz/seja lá o que for, mas vamos combinar que essa música é muito linda e que combina muito com esse livro! Se você já viu o filme e leu o livro, com certeza vai chorar quando começar o som desse piano do início da música – pelo menos eu choro até hoje! Hahahahahaha E por falar em chorar, claro que as pessoas sempre associam as histórias do Nicholas Sparks à choradeira incontrolável, não é mesmo? Eu não posso negar que o caso desse livro seja diferente, porque tanto eu, quanto a Fernanda e até mesmo meu pai choramos muito quando lemos – aliás, a Fernanda parecia um chafariz, de tanto que chorava!
E você? Já leu? AINDA NÃO?? Pois bem, deixa eu contar rapidinho do que a história se trata: Verônica Miller é uma adolescente como qualquer outra, que fica revoltadíssima quando tem que fazer algo que não quer – e no caso dela, suas próximas férias terão que ser ao lado de seu pai, na Carolina do Norte. Na verdade, a sua revolta não é só por ter que passar um tempo com ele, mas por tudo o que aconteceu com sua vida nos últimos três anos, quando seus pais se separaram e seu pai se mudou para longe. Ela é bem relutante à qualquer aproximação dele, mas com o tempo as coisas começam a mudar, principalmente depois dela conhecer Will, um dos garotos mais populares da cidade.
Sério, vocês têm que ler esse livro! Não é meu favorito do Nicholas Sparks, eu confesso, mas a história é muito bonita! Vale a pena!

A Última Façanha do Major Pettigrew – Helen Simonson

A_LTIMA_FACANHA_DO_MAJOR_PETTIGREW_1302655650P Uma das coisas que mais gosto de fazer é descobrir livros novos no Skoob. E não novos no sentido de lançamentos, mas novos no sentido de terem sido lançados há algum tempo e eu nunca ter ouvido falar. Melhor ainda: descobrir esses livros e ficar com muita vontade de ler! Foi o que aconteceu com esse livro da Rocco lançado em 2011!
Olha como a história parece legal: em uma pequena cidade da Inglaterra, o leitor acompanha a história do aposentado Major Ernest Pettigrew (quem aqui pensou no Perebas levante a mão! :14 ), que considera a honra, a disciplina e as boas maneiras virtudes essenciais. Ele está contente com sua rotina de viúvo, que inclui: idas ao clube de golfe, telefonemas para o filho e leitura de poemas clássicos, até que seu irmão Bertie morre, e ele percebe que está mais sozinho do que imaginava. É nessa solidão, ele acaba se aproximando de uma paquistanesa chamada Jasmina Ali, de 58 anos, viúva e dina de um mercadinho da região. Ah! E ela também é uma apreciadora de obras literárias. Todos os moradores da vila são fofoqueiros e ligados à tradição, então a diferença cultural entre os dois é praticamente insustentável, mas para Pettigrew ela é uma nova companhia, e então se desenrolará situações que o fará assumir seu amor mesmo com a exclusão da sociedade ao seu redor.
Além de toda essa coisa da sociedade excluir a mulher por causa de sua cultura e sua aparência e ela viver sob isso, uma das coisas que faz com que você queira ler é justamente o fato de ser um romance entre duas pessoas mais velhas. Podem notar, hoje é tão comum ler somente livros com protagonistas de idades que variam dos 10 aos 40 e poucos anos! E quando há personagens mais velhos, são apenas personagens que fazem parte da vida de alguém mas que nem sempre possuem um grande destaque. Já aqui é o contrário e, além dos dois protagonistas já serem mais velhos, ainda tem romance! Não me lembro de muitos livros que mostrem o relacionamento entre pessoas quase idosas/idosas – não só pessoas casadas, mas principalmente pessoas descobrindo o amor tardiamente! Se vocês se lembrarem de algum livro assim, por favor, avisem nos comentários! :27

2 comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #146 – Dia dos Professores
Sunday 20/10/2013 às 10:00 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Dia 15 de outubro foi um dia muito especial: o dia dos professores. É uma das profissões mais nobres que existem, e com certeza uma das mais desvalorizadas nesse país. É impressionante como eles passam por milhões de dificuldades e ainda assim levantam todos os dias com vontade de ensinar. Se não fossem eles, vocês não estariam lendo a coluna, nós não estaríamos escrevendo… E muitas vezes eles fazem mais do que só transmitir conhecimento sobre alguma habilidade, eles passam a fazer parte da nossa história e até da nossa vida!
Só com 19 anos que nós passamos a ter professores diferentes por causa das nossas escolhas de cursos na faculdade. Eu fico triste por um lado porque sei que todos aqueles que me ensinaram alguma coisa e mudaram a minha forma de ver o mundo não tiveram a oportunidade de ensinar para a Tatiana (que sério, é uma excelente aluna!), mas ao mesmo tempo eu fico contente porque podemos trocar o que aprendemos e, no final do dia, sabemos mais do que nos foi ensinado nas aulas.
Costumamos manter contato com muitos dos nossos professores: desde a Lia, da 3ª série, a Silvia e a Flávia da 8ª, o Nelson do ensino médio, a Mírian do 2º e 3º ano, até os da faculdade, tanto de Campo Grande como daqui de BH. Talvez por ter tido tantos professores bons é que eu queira ser como eles no futuro, ensinando jovens universitários não só os conteúdos programáticos, mas o que eu puder passar pra eles sobre minhas experiências, meus estudos… E, assim, perpetuar as metodologias de ensino que tanto me fizeram diferença!
Por isso, nessa semana selecionamos livros em que os professores fizeram alguma diferença na vida dos alunos (mesmo que seja ruim, porque sejamos francas: sim, existem professores que são ótimas pessoas mas que não conseguem passar as matérias de uma maneira que os alunos consigam aprender). Não deixem que os professores que vocês têm ou tiveram sejam apenas pessoas que passaram por sua vida: mostrem à eles que cada um teve sua colaboração no seu crescimento! :27
Tenham uma ótima semana, e até domingo que vem!

Uma Professora Muito Maluquinha – Ziraldo

UMA_PROFESSORA_MUITO_MALUQUINHA_1231709022P Antigamente eu até queria ser professora, mas depois de alguns semestres na faculdade, acho que não levo muito jeito pra coisa – não só pela minha falta de paciência e de delicadeza com jovens mal educados, mas pela minha falta de vocação pra lecionar. Eu realmente não sei fazer isso. Eu fico mais confusa que o próprio aluno! E mesmo depois de já ter essa decisão praticamente 100% tomada, quando eu paro e penso na professora desse livro, eu então tenho mais certeza de que, pra ser um professor, você tem que amar, acima de tudo, o que está fazendo. E olha que é uma função e tanto!
Esse livro é, no mínimo, um clássico na vida das crianças da minha geração, mais ou menos. Em todas as bibliotecas de todas as escolas que eu estudei, sempre havia um exemplar desse! Eu realmente espero que também tenha passado pela sua infância e que passe pelas mãos de muitas crianças, pois além de ser um livro muito divertido, ele mudou muito a minha perspectiva sobre o papel do professor e do aluno. Uma das coisas que mais me encantam nesse livro é a facilidade com que a professora ensina aos alunos – quer dizer, tem como ter mais didática que ela? Aliás, didática é uma coisa muito discutida pelos alunos de faculdade, porque além do fato de estarmos aprendendo conteúdos muito mais técnicos, temos a oportunidade de termos aulas com profissionais da área que queremos trabalhar, e não com professores de formação, somente. No meu curso eu até que não tenho muitos problemas com relação a isso, pois a maioria dos meus professores são professores MESMO, mas vejo MUITA gente reclamando sobre como é ruim ter aula com alguém que não sabe ensinar – e até mesmo alguns professores de escola têm esse problema! Os alunos dessa história têm muita sorte de ter uma professora tão maluquinha!

Harry Potter e o Prizioneiro de Azcaban – J.K. Rowling

HARRY_POTTER_E_O_PRISIONEIRO_DE_AZKABAN_1343592651P Antes mesmo das aulas começarem, a vida de Harry já está bem agitada: seus tios recebem a irmão de Válter em casa e, por causa de um pequeno engano, Harry acaba recebendo uma carta de expulsão de Hogwarts. Agora que está sem eira nem beira, Harry decide que é a hora de começar uma nova vida longe de seus parentes e, por isso, foge de casa e vai para o Beco Diagonal – lá pelo menos reencontra Rony e Hermione, mas também acaba tendo uma reunião com o Ministro da Magia, que está muito preocupado com a fuga de Sirius Black, um perigoso assassino que também fora acusado de trair os pais de Harry. Desta forma, todos temem que a próxima vítima de Sirius seja o próprio Harry.
Uma das coisas que eu mais gosto em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (além do Sirius e do Bicuço) é o Lupin e o fato dele ser um dos melhores professores que Hogwarts já teve o prazer de colocar na vida dos alunos. Sério, eu Cho que eu não teria medo das aulas de Defesa Contra as Artes das Trevas se fosse ele o cara que me dissesse como lutar contra um bicho-papão num armário, ou até mesmo me ensinar um Patrono. Isso sem contar os dias que ele ficava conversando com o Harry sobre os dementadores, sobre o Tiago e a Lílian, sobre tudo! Quer um professor mais legal do que aquele capaz de enxergar em um adolescente além da sua idade? Essa é uma das coisas que eu mais gosto em alguns professores que já tive na vida, porque acredito que além de lecionar, o professor é um educador – e no sentido de nos guiar na vida também, assim como os nossos pais. Claro que nem sempre temos a sorte de termos um professor tão bacana quanto o Lupin cof cof Snape cof cof, mas não custa nada sonharmos com a possibilidade de um dia nos depararmos com alguém assim, não é?

A Bandeja: Qual Pecado Te Seduz? – Lycia Barros

A_BANDEJA__1342623893P Existem professores que são galanteadores e isso ninguém pode negar. Todo mundo conhece alguma história de professor que ficou com aluna, de professor que dava em cima de alguém… Infelizmente essas coisas acontecem tanto na escola quanto na faculdade – a diferença é que, na faculdade, o aluno geralmente é maior de idade, então o problema não é tão grave quanto se fosse dentro de uma escola, que é crime! DENUNCIEM!
Nesse livro, a protagonista Angelina é uma garota do interior do Rio de Janeiro que se muda para a capital para estudar em uma universidade. Lá, ela acaba se apaixonando por um de seus professores, o Alderico, mais conhecido como Rico. A paixão entre eles é avassaladora e descontrolada, principalmente para a Angelina, que acaba deixando de lado seus estudos, sua família, amigos, religião e até mesmo a si própria. Um sonho estranho com algumas peças que não se encaixam, como se estivesse mandando mensagens, começa a se repetir e ela só consegue perceber seu significado mais tarde, quando uma verdade lhe é revelada. A partir de então ela passa a compreender o significado do amor de Deus em sua vida.
Eu adorei esse livro, fiquei impressionada com como no início eu gostava do Rico e com o passar do tempo passei a detestá-lo. Não vou contar o que achei dele mais pro final, mas é muito bom saber que no livro Entre a Mente e o Coração ele é o protagonista! Estou louca para saber seu verdadeiro final!

Cotoco – John Van de Ruit

COTOCO_1368393937P Tudo bem que o protagonista do livro não é um professor, e sim um menino de 13 anos, mas o professor de inglês fez muita diferença na vida do John Cotoco Milton (aliás, muitas vezes ele rouba a cena, apesar de ser horas perturbado, horas extremamente filosófico) então não podia deixar de lado. Afinal de contas, todos nós temos um professor ou professora que teve um papel importante na nossa formação e até na nossa vida, certo?
O livro se passa na África do Sul de 1990, na época em que o Nelson Mandela foi libertado. John vai começar a ter aulas em uma escola particular, porque ganhou uma bolsa, e lá percebe como as pessoas são diferentes e estranhas (não acho que sejam mais estranhas que a família dele, que é mais lunática que estranha), e faz tudo ao seu alcance para se adaptar, sendo tudo isso narrado por ele através de seu diário.
O Guv era um professor diferente dos outros: literalmente xingava durante as aulas, ameaçava os alunos, às vezes parecia que não falava nada com nada… Mas ao mesmo tempo, cativava todos, e John praticamente o tinha como um exemplo. Tanto é que, durante o livro, eles desenvolvem uma amizade e lá pelas últimas páginas ele diz ao Cotoco algo muito bonito: “Lembre: em caso de dúvida, continue lendo. Os livros nunca deixam a gente na mão.”. Como não amar? Como não concordar? LIVROS REALMENTE NUNCA NOS DEIXAM NA MÃO! LIVROS SÃO AMOR!

Avalon High – Meg Cabot

AVALON_HIGH_1262477713P Esse é um dos meus livros favoritos da Meg, não só por conta da protagonista ter muitas coisas em comum comigo, mas porque o ambiente que ela criou foi simplesmente um dos mais críveis, pra mim – quer dizer, além de eu realmente conseguia imaginar tudo com muita clareza, a Ellie (a protagonista) acabara de mudar de cidade, prestes a começar um novo ano na escola! Quantas vezes EU já não passei por isso? Enfim, Ellie é uma garota que adora correr e, assim que se muda, descobre um parque perto de casa que é perfeito para suas corridas. Entretanto, em um desses treinamentos, ela acaba esbarrando em um dos garotos mais bonitos e populares de sua nova escola, Will, e a partir de então sua vida muda mais uma vez – e desta vez de um jeito um tanto quanto bizarro: cada vez mais ela percebe GRANDES semelhanças entre a sua vida e a da escola com a vida dos personagens da lenda do Rei Arthur! Bizarro, não é?
Eu não quero falar muito sobre a história em si do livro porque tenho medo de soltar coisas que eu acredito serem muito melhores quando descobertas conforme a leitura avança, mas uma coisa eu posso dizer: esse livro é MUITO emocionante. Eu o considero, aliás, o melhor livro adolescente da Meg que eu já li, por dosar muito bem romance, aventuras e humor. Aliás, por falar em humor, como não amar os pais da Ellie? Eles são professores universitários muito diferentes dos pais que eu costumo ler, e acabaram tendo um papel muito mais importante do que eu poderia imaginar!

Comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #145 – Dia das Crianças
Sunday 13/10/2013 às 10:00 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Feliz Dia das Crianças (atrasado) pra todas as crianças interiores de vocês! :02 Podemos envelhecer o quanto for, mas o Dia das Crianças deveria ser comemorado por todos nós sempre! Acho que uma das coisas que nunca podemos nos esquecer da nossa infância é a capacidade de sonhar com o nosso futuro, de fazer planos e de esperar que todas essas coisas aconteçam – mas claro, sem nos esquecermos de que temos que fazer nossa parte para que estes sonhos se realizem!
Quando eu era criança, eu vivia pensando em como eu queria que minha vida de adolescente fosse bacana, cheia de muitos amigos e de muitas alegrias. Minha adolescência acabou saindo totalmente diferente daquilo que eu sonhava, mas foi muito boa do mesmo jeito! E ainda que as pessoas me confundam de vez em quando com uma adolescente, eu gosto de pensar que mantenho a mesma alegria que eu tinha e que ainda a terei comigo por muitos e muitos anos – afinal de contas, tanto os adolescentes quanto os pré-adolescentes ainda têm muita infância dentro deles!
Então se você já passou dos 20 anos e está cada vez mais longe da sua infância, não desanime: existe sempre uma forma de voltarmos a nos surpreender com as novidades da vida e de nos enchermos de esperança de que tudo será diferente! Com vocês, os livros infantis que valem a pena lermos sempre!

As leis de Allie Finkle para Meninas: Dia da Mudança – Meg Cabot

DIA_DA_MUDANCA_1264029329P Allie Finkle é uma menina normal de 9 anos que recebe uma bomba: seus pais contam que a família está de mudança. Isso, pra ela, é quase como se sua vida tivesse acabado, porque além de não estar nem um pouco contente com a notícia, ainda vai ter que trocar seu quarto cor-de-rosa por uma casa antiga e assustadora. Ou seja: ela precisa fazer alguma coisa que impeça a mudança. Se o plano vai ou não funcionar já é outra história, mas o mais importante é tentar e, para isso, ela tem seu livro de leis para ajudá-la a se comportar!
Todas as resenhas que eu leio sempre dizem: é como se você voltasse para a sua infância quando lê! Esse é o primeiro livro da Meg Cabot para o público infantil, mas isso não impede ninguém de ler e amar a sagacidade da Allie e suas ideias malucas!
Se já foi difícil para eu mudar aos onze anos, imagino que aos nove deve ser um pouco mais complicado no início porque é muita informação nova ao mesmo tempo e você pode perder amizades que, para o momento, são extremamente importantes, como se o seu amigo fosse seu irmão mesmo. Não sei se com a Allie vai ser assim, só lendo para descobrir!

Rangers: Ordem dos Arqueiros: Ruínas de Gorlan – John Flanagan

RANGERS_ORDEM_DOS_ARQUEIROS__LIVRO_1_1380314165P Às vezes criamos uma imagem idealizada de alguém que não conhecemos, não é? Juntamos as informações que nos fornecem de vez em quando e montamos um grande personagem que parece ser a melhor coisa que a Terra poderia carregar. Acho que sou mais ou menos assim de vez em quando, principalmente quando se trata do meu avô materno, que nunca tive a oportunidade de conhecer. E no caso de Will, seu sonho era poder na Escola de Guerra e ser como o pai que idolatrava, mas que também nunca tivera a oportunidade de conhecer. Entretanto, ele não deixa de ser treinado: para sua surpresa, ele é escolhido como um aprendiz de Halt, um arqueiro que tem fama de ser muito poderoso, até mesmo mágico. E como a vida dá muitas voltas, ele finalmente tem a sua chance de ser tão grandioso quanto aquela imagem do pai: ele acaba embarcando em uma grande aventura com Halt para impedir que o rei seja assassinado!
Eu sempre olhava pra esse livro e pensava nele como uma oportunidade pra fazer o meu irmão ler alguma coisa, mas pelo visto eu vou ter que ler antes mesmo dele! A história parece ser bem legal, diferente (arcos e flechas, minha gente!) e divertida, uma vez que Will acaba arrumando um pônei nada fácil de lidar pra ser seu companheiro de aventuras!
A série da Ordem dos Arqueiros já conta com dez livros lançados no Brasil, mas por mais que sejam muitos livros, quero dar uma chance pra eles! Aliás, a Fernanda, do Viagem Literária, já fez resenha da maior parte da série e ela recomenda!

Pollyanna – Eleanor H. Porter

POLLYANNA_1248547625P Pollyanna é uma órfã de 11 anos que vai morar com sua tia Polly Harrington na pequena cidade de Beldingsville, na Nova Inglaterra, Estados Unidos. A partir do momento que a menina chega à cidade, no início do século XX, as coisas logo começam a mudar, porque aos poucos não só sua tia, mas todos os moradores começam a se transformarem em pessoas melhores usando o “Jogo do Contente” que a menina espalha por aí. Ela é uma otimista incurável e não aceita desculpas para a infelicidade, e para isso empenha-se de corpo e alma para ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.
Esse foi um dos livros que mais gostei quando era adolescente, peguei na biblioteca da escola porque minha mãe já havia comentado que tinha gostado da continuação, e fiquei curiosa para saber do que se tratava. A Pollyanna é um exemplo de pessoa, sério mesmo. Depois que você lê o livro, fica brincando de Jogo do Contente, e a vida fica mais leve, do jeito que é para as crianças, sabem? Acredito que todos deveriam ler, a menina tem muito a ensinar! Ah! E tem uma adaptação do livro no Youtube! É dublado, mas parece bem bacana!

Linhas – Sophia Bennett

LINHAS_1290620677P Todo mundo sabe que, em termos de amizade, às vezes nos deparamos com pessoas completamente diferentes de nós e que acabam nos completando, não é mesmo? Minhas amigas, por exemplo, nunca foram iguais umas das outras, e hoje posso dizer que estou cada vez mais eclética! Acho que isso é muito importante pra nos fazer crescer, respeitar as diferenças, termos mais paciência e, principalmente, para aprendermos mais sobre nós mesmos. No caso de Nonie, Edie e Janie, três amigas inseparáveis, o aparecimento de Crow, uma refugiada de Uganda, a amizade começa a mudar a cara.
Acho que esse livro pode ter muitas lições para seus leitores, não só sobre a amizade em si, mas sobre a força de vontade que temos que ter, a fé nos nossos amigos e a no nosso trabalho para que os nossos sonhos se realizarem. Claro que contar com a sorte também ajuda, mas não vejo isso como fator exclusivo para conseguirmos algo. E também penso que, no caso de Crow, que vivia em condições péssimas por causa da guerra, a esperança de um futuro melhor deve ter sido essencial pra que ela tivesse coragem e forças pra seguir em frente atrás daquilo que ela acreditava.

A Pirâmide Vermelha – Rick Riordan

A_PIRAMIDE_VERMELHA__1288288628P Os irmãos Carter (14 anos) e Sadie (12 anos), desde que perderam sua mãe, viveram separados e sempre com estranhos. Enquando ela viveu com os avós maternos em Londres, seu irmão viajava pelo mundo com o pai egiptólogo Dr. Julius Kane. Durante uma das visitas de Julius à Sadie, ele leva os filhos para o Museu Britânico, acaba libertando alguns deuses egípcios, sendo um deles o Set, o deus do caos, que o aprisiona, destrói parte do museu e ainda tem planos malignos de destruir o mundo. Os irmãos precisam agora tentar não só salvar seu pai, mas impedir que Set destrua a humanidade e descobrir quais são os vínculos da família com uma ordem secreta que existiu desde os tempos dos faraós!
Eu sei que eles não são crianças, mas as histórias do Rick Riordan são tão bem escritas que qualquer criança pode ler e amar! Ainda mais porque o livro é cheio de aventuras e ensina muito coisa sobre a mitologia egípcia! Eu estou louca para ler essa série, apesar de morrer de medo de tudo que envolva faraós, tumbas e semelhantes. Sim, sou dessas que tem medo de maldição de faraó, de múmias… Eu sei, eles já morreram e tudo mais, mas quem garante que eles não voltem? Já assistiram A Múmia? Pois é. E se elas voltam? E se a gente ficar nas mãos de algum faraó doido? Eu não quero estar viva se isso um dia acontecer.

Comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #144 – Debaixo D’água
Sunday 06/10/2013 às 10:02 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

O segundo semestre na faculdade geralmente passa voando: agosto parece que demora, mas quando chega ao final, as provas estão se aproximando e tudo o que você quer é que passe mais rápido. Passa tão depressa que outubro já chegou, outras provas aparecem, você já está cansado de tanto trabalho e cobranças e só consegue pensar que, dentro de mais ou menos oito semanas, dezembro chega e as férias tão sonhadas também. Enquanto isso, você fica permanentemente naquela sensação de que os prazos irão de engolir e você irá se afogar em trabalhos, provas, mais trabalhos e cansaço. E falta de colocar o sono e a leitura em dia. É assim que eu e a Tatiana estamos nos sentindo – ainda mais que as datas para entrega de trabalhos finais estão cada vez mais próximas. Às vezes dá vontade de só se esconder e esperar tudo passar, pra ver se você consegue descansar apropriadamente, mas e quem disse que dá? Nem tempo pra descansar nos sobra!
Uma ótima forma de “esquecer” os problemas é na piscina ou no mar. Mesmo que você seja da turma que não sabe nadar (bem vindos ao clube! :12 ), não tem nada mais gostoso que passar uma tarde com os pés no mar, pensando na vida, ou na piscina, trabalhando o músculo de tudo quanto é parte do corpo para chegar ao final do dia e você só querer tomar banho, comer e dormir. O desgaste físico nos ajuda a deixar temporariamente de lado o desgaste intelectual, e por incrível que pareça: isso é saudável!
Porém, nem sempre ficar debaixo d’água é uma coisa boa, e as capas dos livros dessa semana mostram que a “realidade de algumas histórias fictícias” (essa frase ficou bem profunda, não acham? :14 ) pode ser mais desgastante que passar o dia todo correndo na areia (só de passar umas duas horas andando eu já fico com as pernas doendo no dia seguinte inteiro! Sou ou com certeza sou uma sedentária?). Espero que gostem da seleção, cuidado com as piscinas, rios, lagos, lagoas e mar nesse calor, usem protetor solar e até semana que vem!

Limiar – Jessica Warman

LIMIAR_1375928801P Acho que uma das coisas mais interessantes nessa capa, além do fato de que ela ficou muito mais legal pra mim quando percebi que se tratava de alguém debaixo d’água, é que ela me faz pensar em sol, férias de verão e festa. Tudo bem que não dá pra ver a cara da pessoa em questão e nem pra saber se ela está confortável ou na nesta posição, mas por algum motivo eu me lembrei daquele clipe de Baby Love, da Nicole Scherzinger, que eu adoro. Ainda que ela passe um bom tempo num iate e eu não consigo me imaginar num lugar assim (porque convenhamos, o negócio pode ser o mais caro de todos, mas ainda assim vai balançar!), tudo é tão bonito, né? A história de amor e os dois juntos, aproveitando a vida como se não houvesse mais nada e nem ninguém no mundo pra atrapalhar… Isso tudo me faz pensar nesse livro. Liz Valchar é uma garota que tem tudo à sua disposição: além de rica e linda, tem um namorado maravilhoso. Os dois se juntam com seus cinco melhores amigos pra comemorarem o aniversário de Liz em um iate particular, no melhor estilo “a cara da riqueza”, mas as coisas não terminam tão bem assim – Liz acorda no dia seguinte percebendo que as coisas estão, no mínimo, estranhas: ela vê um corpo boiando no mar. O seu corpo. Liz está morta. Agora, contando apenas com a ajuda de Alex, um garoto que morrera um ano antes em um acidente, ela terá que descobrir como foi que ela mesma morreu.
Gente, que história creepy! E eu quero ler! Hahahahahahaha Acho que posso ficar tensa em muitas partes desse livro, afinal de contas trata-se de uma personagem que morre e que vai atrás do mistério por trás da sua morte, mas por incrível que pareça, eu fiquei mais curiosa do que com medo! Já está na minha lista de desejados!

O Oceano no Fim do Caminho – Neil Gaiman

O_OCEANO_NO_FIM_DO_CAMINHO_1369426298P Quem conhece o meio literário sabe que Neil Gaiman é um autor muito renomado e dono de uma legião de fãs fervorosos pelos seus contos. Eu, na verdade, não sabia que ele era tão importante assim até me deparar com esse livro, eu acho – e se ouvi falar dele antes, não lembrava! O fato é que, quando esse livro foi lançado nesse ano, muita gente ficou empolgadíssima! Este livro é mais um conto do autor, que narra a história de um homem de uns quarenta e poucos anos se lembrando de sua infância. O personagem não tem nome – e esse artifício, particularmente, eu admiro muito, principalmente por sua capacidade em levar o leitor a se colocar no lugar do tal personagem – e volta para sua cidade natal, onde passou a infância e o início da adolescência, após um funeral. Não sei se acontece com vocês, mas quando eu volto pra minha cidade natal, muitos sentimentos tomam conta de mim – aliás, a primeira vez que voltei pra Campo Grande depois que voltei a morar em Belo Horizonte foi bem impactante pra mim, principalmente por conta daquele sentimento de se sentir familiarizada com o local, mas ao mesmo tempo não se sentir mais em casa, por mais que tudo lhe pareça tão natural. Sei lá, minha relação com Campo Grande é muito ambígua, mas enfim, voltemos à história do livro. O protagonista viveu anos muito difíceis nessa cidade, ainda mais quando seus pais começaram a passar por dificuldades financeiras e resolveram alugar o que costumava ser seu quarto para hóspedes (omg, eu não quero nem pensar no quão estranho isso deve ser, ainda mais para uma criança). Um desses viajantes acabou roubando o carro da família e se matando dentro dele. E já não bastasse esse acontecimento horrível, forças sobrenaturais despertam e passam a interferir na vida dos moradores da pequena cidade, inclusive do personagem. Todos estavam em perigo, e somente aquele menino poderia fazer algo para salvá-los.
Eu não sei se esse livro me agradaria, já que não faz muito o meu estilo e porque li muitas resenhas ressaltando o fato de que a narração é um pouco confusa, mas confesso que fiquei bem curiosa pra saber se o tal menino conseguiu mesmo se livrar desse perigo e como isso o afetou enquanto adulto. Isso sem contar o título do livro, que precisa de uma explicação!

A Desconstrução de Mara Dyer – Michelle Hodkin

A_DESCONSTRUCAO_DE_MARA_DYER_1372965252P Eu esperei muito tempo por esse livro e quase cheguei ao ponto de ler em inglês mesmo – não fosse toda hora um livro virar prioridade na minha lista de desejados, ele já estaria na minha estante há muito tempo (isso se meu dinheiro também permitisse, mas enfim). Eu sou MUITO curiosa com essa história e com a série em si, que além de parecer extremamente instigante, ainda tem toques de suspense! Mara Dyer é uma garota que, como eu, amava os Beatles e os Rolling Stones não se interessava em mensagens do além – aliás, eu MORRO de medo! Tipo aquelas brincadeirinhas com copo, lembram? Eu NUNCA consegui brincar com aquilo – até porque, QUE TIPO DE BRINCADEIRA É ESSA, MINHA GENTE? :08 Mas voltando ao livro, Mara acaba brincando com uma tábua oujia para não contrariar sua melhor amiga em seu aniversário. Eu já vi algum seriado na época da Fox Kids (sou velha!) em que alguém usava um tabuleiro desses e o negócio era sempre bem creepy… Mas enfim, durante a brincadeira, a única mensagem que Mara recebe é escrita em sangue. Ou seja, QUE MEDO. :07 E o pior é que, por mais que isso parecesse apenas uma brincadeira de mau gosto de seus amigos, os tais amigos MORREM e Mara não – aliás, ela é a única a sobreviver num acidente!! Ainda que tenha sobrevivido, Mara acaba perdendo a memória, e para que ela ficasse afastada de todo o horror que viveu, seus pais decidem mudar de cidade para começar uma nova vida ao lado dela. Entretanto, ela não quer se esquecer. Ela quer se lembrar do que aconteceu e entender o porquê de ter sido a única sobrevivente, e precisa fazer isso antes que as alucinações que começaram a lhe assombrar acabem por deixá-la louca.
Esse é mais um livro que está distante do que eu costumo ler, mas por algum motivo, eu sou completamente curiosa pra saber o que acontece. Acredito que ele seja um pouco mais introdutório que o normal por se tratar do primeiro livro de uma trilogia – os dois livros seguintes, The Evolution of Mara Dyer e The Retribution of Mara Dyer, ainda não foram lançados no Brasil. E ambas as capas também são com um casal debaixo d’água!

Mermaid – Carolyn Turgeon

MERMAID_1339520332P Acho que todo mundo conhece o conto de Hans Christian Andersen, A Pequena Sereia. Ontem, por exemplo, eu descobri que estão vendendo a edição diamante do DVD e eu PRECISO URGENTEMENTE COMPRAR (pedi até de Dia das Crianças pra minha mãe, pra vocês terem uma noção do desespero da criança de 22 anos aqui) porque é um dos únicos DVDs que eu não tenho das Princesas da Disney e que eu não vi inteiro. EU SEI, EM QUE MUNDO EU VIVO, NÉ? Mas tipo, eu sei a história e tal, e saber que tem essa versão cheia de reviravoltas me deixa ainda mais louca para ver o filme e ler o livro.
A princesa Margrethe está observando o oceano durante uma manhã sombria quando presencia uma cena um tanto quanto inédita: uma linda sereia emerge das ondas com um homem quase afogado em seus braços. Logo em seguida ela desaparece, e Margrethe vai resgatá-lo, mas se encanta aos poucos… Mesmo descobrindo depois que ele é nada mais nada menos que o maior inimigo do seu pai. Enquanto isso, Lenia – a sereia e também uma princesa – deseja encontrar novamente o homem pelo qual se apaixonou perdidamente, e está disposta a trocar tudo o que tem, até mesmo sua própria voz, para conquistar o coração do homem. São duas princesas e um guerreiro, e só lendo para saber quem terá um final feliz!
Sério, gente, como é possível alguém que não goste de A Pequena Sereia não querer ler esse livro? Não tem como! E não é como se fosse estragar a imagem que você tem do filme porque as duas são do bem, são nobres, e não é como se a Margrethe fosse a Úrsula! Eu quero saber quem vai ficar com quem! E quero ver se a guerra entre o pai da Margrethe e o príncipe (sim, pelo visto vai ter uma guerra) vai dar em alguma coisa ou não!

Atormentada – Jeannine Garsee

ATORMENTADA_1373561368P Bipolaridade é um assunto sério que deveria receber mais atenção, porque acontece mais do que imaginamos e nem sempre é diagnosticado. Rinn, pelo menos, sabe o que tem e mantém o transtorno sob controle com a ajuda da medicação. Ela é até uma menina comum: mora com a mãe e estuda no Colégio River Hills, que por um acaso tem a fama de ter a piscina assombrada por Annaliese, uma adolescente que se afogou ali há vinte anos. Lógico que, com uma coisa assim, logo iam começar a acontecer coisas estranhas – terríveis, até – com seus colegas, menos com ela que, aliás, não pode ser “atingida” pelo fantasma. Rinn consegue fazer contato com o fantasma, mas ele não é muito amigável e, ao descobrir o motivo, ela pede a ajuda de seu namorado para descobrir a verdade. Mas então realidade e fantasia começam a se confundir e para a menina fica quase impossível diferenciá-las, e ela se pergunta se de fato pode confiar no que sente ou se está mais uma vez perdendo o contato com a realidade.
Ok, que enredo mais sinistro! Não gostaria de fazer contato com nenhum fantasma de adolescente que se afogou na piscina do colégio, muito menos armar algum plano para descobrir uma verdade que eu nem suspeito de que possa ser. É muito pra mim, imagina pra Rinn! Eu acredito que essa capa mostra bem dois lados do livro: a analogia com o afogamento da Annaliese e a sensação de sufoco e falta de opção que a Rinn deve passar por causa de sua doença. Aliás, a Jangada está de parabéns por manter a capa original, porque ela é absolutamente linda (mesmo nessas circunstâncias) e chama muito a atenção do leitor!

2 comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #143 – Close no rosto
Sunday 29/09/2013 às 10:00 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Bom dia, gente! Como foi a semana? Muita correria? Provas? Nós entramos na fase das primeiras provas, então tudo está bem agitado por aqui, ainda mais com a minha cabeça, que infelizmente ainda não melhorou :10 . Eu já não sei mais o que fazer, sinceramente, mas pelo menos a dor se tornou mais fraca, a ponto de eu voltar a me sentir um ser humano novamente. O problema de se sentir um ser humano é que, depois de tudo o que eu passei nessas três semanas, percebi o quanto eu estou… Acabada. Tanto física quanto psicologicamente. E o pior não é nem isso: ainda faltam dois meses pra esse semestre acabar!
Mas ainda que demore um pouco, eu estou cheia de planos pra mudar a minha vida nessas férias – porque quando a gente fica doente, a primeira coisa que se passa na cabeça (além de melhorar, claro) são os erros que vemos cometendo. E eu tenho cometido vários, principalmente quando o assunto é minha saúde. E uma primeiras coisas que vou fazer quando começar a passar essa crise de enxaqueca será entrar numa academia e malhar! Parece até piada, mas eu preciso malhar. Claro que eu tenho medo de emagrecer mais, mas eu preciso dos exercícios físicos pra me manter inteira. Sem contar que nunca se sabe se eu acabo peando gosto pela coisa, não é mesmo? Todos aqui em casa estão longe de serem sedentários como eu e a Fernanda, então pode ser que essa fase preguiçosa nossa seja apenas isso mesmo: uma fase!
Enfim, o que eu estava querendo dizer é que, com essa minha vontade de mudar, eu comecei a pensar nos cuidados que eu preciso prestar mais atenção quando o assunto é pele – não que eu seja relaxada quanto a isso, muito pelo contrário, na verdade, mas já se imaginou numa capa de livro, por exemplo? Muitas delas vêm estampadas com o rosto de alguma garota! E nessas horas, por mais que a gente saiba que tem MUITO Photoshop no meio, o que mais queremos é imaginar que a pele linda e maravilhosa que está lá estampada é nossa! Por isso, a coluna dessa semana é uma seleção de livros com peles lindas closes de rostos! Boa semana, gente!

O Antes e o Depois – Jennifer Castle

O_ANTES_E_O_DEPOIS_1376009081P Sabe aqueles momentos terríveis que acontecem de vez em quando em nossas vidas? Não aqueles do tipo “torci o pé” (que não deixa de ser ruim, vejam bem :28 ), mas aqueles que transformam a nossa vida? Eles são como uma divisória: o antes do acontecido e o depois. Laurel, uma garota de 16 anos, acabou de passar por algo assim – perdeu seus pais e seu irmão em um acidente de carro. Quem o dirigia era o pai do seu vizinho bad boy, David Kaufman, cuja mãe também morreu nesse acidente. Depois disso, ela se afasta da melhor amiga, os garotos não se aproximam mais dela – e se o fazem, geralmente é por pena, toda hora uma lembrança lhe vem à cabeça… E o Sr. Kaufman está em coma – mas está vivo. Para completar, David entra e sai de sua vida toda hora e é difícil conviver com isso, não só porque os dois estarão para sempre ligados por essas perdas mútuas, mas também porque ela sente uma atração irracional por ele.
A primeira coisa que me chamou a atenção no livro foi essa capa (linda! E que cabelo maravilhoso, moça! :31 ), e depois que li a sinopse, fiquei com muita vontade de ler. Ontem fui numa livraria, vi o livro e que surpresa: ele é grande! Achei que seriam no máximo umas 200 páginas, mas são 344! Não conhecia essa autora, e estou curiosa para saber como é sua narrativa. Esse tema de perda é bem delicado, e é preciso ter bastante sensibilidade para tratá-lo. De uma coisa eu tenho certeza: quando ler, vou chorar muito! :10

Cade Você, Bernadette? – Maria Semple

CADE_VOCEN__BERNADETTE_1375917912P Bee é uma garota de quinze anos que estuda na Galer Street, uma escola liberal frequentada pela elite de Seattle, e acredita ter a melhor mãe do mundo, Bernadette Fox. Aos olhos do marido, guru tecnológico da Microsoft e rock star do mundo nerd, ela se torna mais maníaca a cada dia. Só causa desgosto, de acordo com as mães da Galer Street, os especialistas em design a consideram um gênio da arquitetura sustentável… Ela inclusive prometeu uma viagem de família à Antártida! :12 Bee mostra seu boletim impecável a ela e reivindica a prometida recompensa, mas é nesse momento que Bernadette some do mapa. Para encontrá-la, a garota compila e-mails, documentos oficiais e correspondências secretas, buscando entender quem é essa mulher que ela acreditava conhecer tão bem e o motivo de seu desaparecimento.
Eu ADORO essa capa. A parte do lencinho na cabeça, o óculos gigantesco que consegue ter o título todo do livro, essa cara de que está talvez encrencada/perdida/qual o próximo passo/todas as alternativas anteriores… E o mais bacana é que nunca imaginaria que a história seria centrada na busca da filha pela mãe imperfeita. Sério, dá pra sentir na sinopse que ela tem um amor incondicional pela mãe e que faria tudo por ela. Como a mulher pode simplesmente sumir, minha gente? Alguém consegue me explicar? Quero saber onde ela se meteu, como isso vai terminar e se elas farão a tal viagem para a Antártida! :14

Sereia – Tricia Rayburn

SEREIA_1302013484P Todo mundo que tem irmão sabe que o relacionamento pode ser um tanto quanto conturbado de vez em quando. Quando éramos pequenas, não brigávamos muito, e hoje em dia muito menos. Aliás, nos damos TÃO bem que às vezes nos esquecemos que vivemos vidas diferentes, entendem? É muito bom ter uma pessoa do seu lado sempre, que te entende como se fosse ela mesma, e acho que essa é a maior vantagem de se dar bem com um irmão. No caso de Vanessa, sua relação com a irmã era de pura dependência: era Justine quem lhe dava coragem de fazer o que antes poderia ser impensável, e quem sempre estava do lado de Vanessa quando ela tinha medo. Porém, um mergulho em Winter Harbor acaba com essa relação tão forte, e Vanessa se vê sozinha no mundo. Como se já não bastasse a dor da perda, Vanessa ainda enfrenta uma sensação de que a morte de sua irmã não fora algo acidental como aparentava ser, principalmente com a descoberta de alguns segredos de Justine que mudarão o rumo de toda a história.
Eu tenho vontade de ler esse livro, que já teve dois livros da sequência, Encanto e Profundezas, publicados aqui no Brasil, não só pela história em si, mas porque OLHEM PRA ESSA CAPA, MINHA GENTE! É muito linda! E meio assustadora também, principalmente se você vê-la ao vivo! Os olhos ficam brilhantes e você começa a se questionar se sereias são seres bonzinhos como a Ariel… Hmm… Estou começando a formular várias hipóteses sobre essa história… :03

Reiniciados – Teri Terry

REINICIADOS_1362663881P Como não gostar de uma distopia, não é mesmo? Ainda mais quando você é uma pessoa como eu, que fica sempre pensando como será o futuro distante, se a vida das pessoas terá mudado muito e o que desse mundo ainda vai restar até lá. Mas no caso desse livro, você poderia até estar vivo no futuro, mas não se lembraria de nada… Pelo menos esse é o caso de Kyla, uma garota que teve todas as suas lembranças apagadas – quer dizer, ela nem mesmo se lembra de como ela era! Tudo bem que não é todo mundo que passa por esse procedimento, apenas criminosos que recebem uma segunda chance, mas ainda assim, isso não é nada legal. Aliás, eu diria que é BEM antiético, porque as memórias são coisas extremamente pessoais, não se pode tirar isso de uma pessoa! Mas foi o que aconteceu com Kyla e milhares de outros criminosos no mundo desse livro. O problema é que, com nenhum deles (a não ser com Kyla), flashes de memória começam a ressurgir! E pior: aquilo que ela se lembra não condiz com a realidade que vem sendo contada a ela… Então qual é a verdade? :08
Eu quero muito ler esse livro! Adoro histórias que envolvem memórias e que vamos descobrindo as coisas junto com os personagens! É muito bom pra se colocar no lugar e imaginar se faríamos ou não a mesma coisa! Sem contar o close da capa, não é? Parece que a menina (que suponho ser a Kyla) está surgindo, sei lá, do gelo, de uma mata cheia de neve, não dá pra saber! :07 Nos Estados Unidos, a série Slated já conta com três livros publicados, mas não sei ao certo se é ou não uma trilogia… De qualquer forma, espero pode ler logo e ter as continuações o mais rápido possível!

Virtude Indecente – Nora Roberts

VIRTUDE_INDECENTE_1253976685P Imagine-se você sendo uma superstar da literatura policial que acaba de fazer uma cansativa turnê do seu novo bestseller. O que você quer fazer? Obvio que é descansar, certo? Pois é, era tudo o que Grace McCabe gostaria de fazer. Para isso, ela decide visitar sua irmã… Bom, relaxar não é bem o que ela faz porque logo descobre que Kathleen, para complementar a renda de professora, também trabalha como operadora de telessexo depois de passar por um divórcio difícil. A empresa, chamada Fantasia, garante o anonimato aos funcionários, mas até onde essa atividade pode ser perigosa? Infelizmente ela descobre a resposta de um jeito terrível, que poderia ter saído de um de seus mais apavorantes romances! Junto com o detetive Ed Jackson, ela tenta montar uma armadilha para pegar o assassino de sua irmã – antes que ela mesma seja a próxima vítima!
A primeira vez que li a sinopse desse livro, confesso que fiquei morrendo de medo de ler, mesmo sendo da Nora Roberts :26 . Mas foi passando o tempo e acho que, com ele, ganhei um pouco de coragem, porque agora estou louca para ler! Preciso saber como isso tudo vai terminar! E dessa vez, sem ler para frente – uma mania terrível que confesso, eu tinha, mas estou cada vez mais longe. E ultimamente ando com vontade de ler livros de suspense, acho que para sair da rotina de romances/chick-lit/YA e para experimentar algo novo. E para ver se eu realmente dou conta de me livrar da mania de ler para frente sem ter um ataque do coração.

2 comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #142 – Máscaras
Sunday 22/09/2013 às 10:00 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Bom dia, bookaholics! Como estão todos? Para a nossa alegria, a Tatiana está melhorando! :12 Era enxaqueca mesmo, e será necessário um tratamento – o que é bem melhor do que ficar esperando a dor vir e tomar um anti-inflamatório para passar, sendo que nem sempre passa. Agora estamos voltando à vida normal (eu também, porque como fico preocupada com ela, o estresse nesses dias estava à mil)!
Mas vou falar uma coisa: não é fácil ir todos os dias à faculdade e fazer suas coisas sabendo que sua irmã está em casa com dor. Era como se, a cada dia, eu tivesse que vestir uma máscara de “tudo está bem” para enfrentar as coisas, quando na verdade não estavam – porque pra completar meu estresse, precisei ficar uns dias sem tomar um remédio para daí começar outro, e aí fiquei péssima. Que zica!
Viver sob uma máscara e não querer ou poder demonstrar tudo aquilo que sentimos é horrível, mas as máscaras geralmente não são usadas com essa finalidade. Muitos acreditam que, com máscaras, podemos nos tornar outras pessoas, termos características diferentes de todas aquelas que possuímos – como uma dupla personalidade. Isso pode ser usado para o bem e para o mal, e o problema é que nem sempre sabemos o que é real e o que é fantasia. Nos livros, as máscaras são usadas para essas coisas e até mais! Por isso, nessa semana reunimos cinco livros em que elas possuem finalidades bem diferentes umas das outras! Esperamos que gostem, e lembrem-se: a máscara mais bonita que existe é a feita com sinceridade! Sério que eu falei isso? Que brega! #FrasesdeCaminhão #FilosofandocomFernanda Tenham uma ótima semana, e até domingo que vem!

Feita de Fumaça e Osso – Laini Taylor

FEITA_DE_FUMACA_E_OSSO_1345917006PEssa capa é extremamente linda – e não digo isso só por causa dessa máscara de plumas e de um azul lindo, que chama muito a atenção em meio a um rosto em preto e branco, mas o rosto em si deixa o leitor curioso: afinal de contas, o que essa menina está sentindo? Não dá pra entender qual a mensagem! E acho que esse é um dos ganchos da história, pois nem mesmo Karou está entendendo muito bem o que está acontecendo.
Pra começar, ela tem o cabelo naturalmente azul. Quer dizer, quantas pessoas que você conhece que possuem o cabelo azul? Eu tenho uma amiga que tem partes do cabelo em verde, mas todos nós sabemos que ele não nasce assim! Mas enfim, ela também é capaz de falar várias línguas (e muitas não são nem humanas) sem nem mesmo ter entrado em algum curso (quem dera eu ter esse dom! Deve ser maravilhoso entender todos no mundo!), desenha monstros que ela não sabe ao certo se são reais (quem aí se lembrou de Twitches, As Bruxinhas Gêmeas?) e pode desaparecer e reaparecer em lugares. Bom, acho que TODO mundo aqui percebeu que alguma coisa está errada com a Karou, né? Pois então, com estoques de dentes de demônio acabando e marcas de mãos negras aparecendo em portas no mundo afora, Karou vai deixar de ser uma “simples” estudante de artes para se envolver numa grande guerra que envolve muito mais do que tudo aquilo que ela já conhece do mundo real. Quem sabe ela não começa a descobrir um pouquinho mais sobre si mesma durante toda essa jornada?
Eu estou DOIDA pra ler esse livro, não só porque fiquei curiosíssima com a sinopse, mas porque ele também tem feito muito sucesso entre os vloggers que eu sigo no youtube! Com certeza está na minha lista de próximas aquisições!

O Baile de Máscaras – Melissa de la Cruz

O_BAILE_DE_MASCARAS_1336187104P Esse é o segundo livro da série Blue Bloods, que possuem nove livros lançados nos Estados Unidos e quatro no Brasil, que são: Vampiros de Manhattan, O Baile de Máscaras, Revelações e O Legado dos Van Alen. Pra você se situar na história: os Blue Bloods são um clã que acumulou grande poder e riqueza, e que foram para os Estados Unidos no Mayflower, em 1620, junto com outras pessoas que formariam as bases da sociedade norte-americana. Por serem muito ricos e poderosos, tornaram-se um dos grupos mais influentes da sociedade de Nova York. No primeiro livro, ao completar 15 anos, a protagonista começa a perceber algumas mudanças em seu corpo – e não as normais que todas as adolescentes passam, e sim veias azuis saltadas, um desejo insaciável por carne crua (eca!) e visões de tempos remotos.
Já no segundo livro (calma gente, no primeiro tem essas mudanças e tem um mistério, não é só ela se transformando ou coisa parecida!) Schuyler Van Alen (sim, o nome dela é esse, e até agora não consegui descobrir como pronunciar) quer uma explicação para as mortes misteriosas de jovens vampiros. Ela viaja até à Itália para procurar seu avô, talvez o único homem que possa ajudá-la a encontrar as respostas. Mas quando volta a NY, o grande assunto do momento é o Baile dos Quatrocentos, em que jovens Blue Bloods são apresentados à sociedade dos vampiros. Aliás, o baile a faz se preocupar com outras coisas, como sua própria natureza e a paixão de Jack, que por sua vez pode lançá-la em outro mistério que pode colocar sua vida e a de outros Blue Bloods em risco.
Sério, antes de falar sobre esse livro eu não tinha tanta vontade de ler a série, porque eu lembro que já cheguei a olhar sobre o que falava e me pareceu legal, mas nada que tivesse uma apelação forte, sabe? Mas falando em sequência os acontecimentos me deixou mais curiosa! Lógico que a parte de serem nove livros (sendo cinco ainda não lançados) vai um pouco contra a maré da empolgação, mas um dia eu quero ler, com certeza! Quero saber se ela vai descobrir o que precisa saber (eu acho que talvez isso aconteça só no terceiro, já que o título é Revelações e tal :03 ), o que mais vai acontecer… Parece um mundo muito fascinante!

Sábado à Noite – Babi Dewet

SABADO_A_NOITE_1331781333P Desde antes de o livro ser lançado pelo selo Generale, da editora Evora, estávamos loucas para ler este livro, e agora que o segundo foi lançado, imaginem como a nossa vontade cresceu!
Ele conta a história de Amanda, a garota popular da escola. O seu melhor amigo possui uns amigos que são considerados os “marotos” do pedaço por desrespeitarem as regras. Tirando isso, até que sua vida vai bem… Tirando o fato de que, do nada, um amor mal resolvido volta à tona e sua amizade é colocada em prova. Além disso, o diretor da escola resolve promover bailes aos sábados. Tudo bem até aí, né? (Acho até que esse fato poderia ajudar a aliviar a tensão e tal… :14 ) Só que as músicas que a banda toca dizem muito sobre ela, e não tem como saber quem está cantando, porque todos eles são mascarados! Quem são esses meninos mascarados???
Sério: se você não ficou instigado a descobrir quem são eles, não sei em que mundo vive! Os caras estão cantando músicas que parecem dizer tudo sobre você! Que coisa mais estranha… Seria coincidência OU NÃO?
Ah! Preciso dizer uma coisa: se não quer saber de absolutamente nada do que pode ser o final dessa história, um conselho que eu dou é não ler a sinopse do segundo livro!

Whitney, Meu Amor! – Judith McNaught

WHITNEYN_MEU_AMOR_1319651100B Esse livro fora publicado no Brasil há muito tempo (aí ganhou essa edição nova) e é o segundo que gira em torno da Dinastia Westmoreland. Até onde eu descobri, essa série conta com quatro livros, mas vi no Goodreads que há um conto de natal e mais um outro, então não sei dizer quantos livros exatamente são (apesar de estar me parecendo seis). De qualquer forma, aqui no Brasil só este e o terceiro livro, Até Você Chegar, foram publicados.
Pela capa já deu pra perceber que este se trata de um romance histórico, e muitas pessoas têm preconceitos com esse estilo – não me pergunte o porquê. Eu acho muito interessante, na verdade, que os costumes da época regencial sejam descritos por tantos autores, porque com certeza há muito trabalho e pesquisa por trás dos detalhes que nos fazem ficar fascinados com o estilo. E no caso desse livro, por exemplo, os casamentos forçados estão com tudo! Whitney Stone era uma adolescente muito à frente de sua época, que fazia de tudo para chamar a atenção de Paul – algo que não é lá tão bem visto assim na sociedade inglesa do início do século XIX. Ela acaba sendo mandada por seu pai a estudar em Paris, onde se tornara uma mulher muito requintada e glamurosa – mas ainda muito teimosa, rebelde e apaixonada por Paul, que continua em sua mira quando volta para a Inglaterra. Entretanto, Clayton Westmoreland, um duque muito poderoso, acaba atrapalhando todos os seus planos ao levá-la ao altar, um absurdo que nem Whitney e nem eu tolero! (hahahahaha ninguém pediu minha opinião, mas isso era e ainda é algo horrível de se pensar! Viva a liberdade de escolha!) Whitney então decide fazer de tudo para se livrar do tal duque, mas o tempo e a convivência a mostram que nem tudo é como ela achava que era e que nem sempre as pessoas são como imaginamos…
Já está na minha lista, logicamente! :31

Remembrance – Michelle Madow

REMEMBRANCE_1314838366PComo não gostar de um livro jovem adulto sobre um amor impossível, não é mesmo? No romance de estreia de Michelle Madow, ela nos apresenta a história de Lizzie, uma garota que está no seu primeiro ano de ensino médio. Acho que muitos de vocês passaram por essa transição do ensino fundamental para o médio cheio de dúvidas na cabeça, sobre como seriam os professores, as matérias, a proximidade do vestibular e o medo de escolher um curso… Bom, pelo menos eu passei por isso! :16 Mas no caso de Lizzie, as coisas ficam ainda mais diferentes quando um novo aluno entra na escola, Drew Carmichael. A premissa poderia ser aquela conhecida por nós, do novo garoto da escola, de como a mocinha se apaixona por ele e ele não a nota, essas coisas, mas não é: Lizzie começa a ter uns flashbacks com Drew e não consegue parar de pensar nele por nada! É como se ela o conhecesse de uma vida passada! E se não bastasse Drew estar em sua cabeça, ele começa a sair com a melhor amiga de Lizzie, Chelsea, ou seja: ela não tem mais nenhum minuto de paz e agora precisará usar uma máscara (não literal) para esconder da amiga a confusão que está a sua mente. Lizzie até tenta conversar com Drew sobre o que está acontecendo, mas ele sempre se mostra muito relutante – seria por causa dos flashbacks que ele também começa a ter??
Eu li resenhas positivas e negativas desse livro no Goodreads, principalmente no que diz respeito à evolução dos personagens e a profundidade deles, mas apesar de ter ficado um pouco dividida, eu estou com vontade de saber o que vai acontecer! Sem contar a máscara, claro, que me deixou intrigada sobre se tem alguma a ver com o passado ou o presente dos personagens. Ou então pode ser um baile na escola! Eu adoro quando tem um baile! :26

2 comentários
Tags: , , , ,


Coluna das Gêmeas #141 – Capas Minimalistas 02
Sunday 15/09/2013 às 10:01 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Bom dia, bookaholics! Como vocês estão? Queria pedir desculpas por mim e pela Tatiana por não ter tido post semana passada. Aconteceu o seguinte: desde sábado passado, a Tatiana está com uma dor de cabeça terrível, já foi em quatro hospitais diferentes para encontrar a solução, e cada médico que a examina passa um remédio diferente, que nunca resolve o problema. Ela já fez exames, e vamos procurar um neurologista. De acordo com a tomografia, não tem nada de errado, mas pelo visto é uma enxaqueca das bravas, que pode demorar mais de uma semana para passar. Como ela não tinha condições de mexer no computador, e eu não conseguia pensar em outra coisa a não ser cuidar dela, a coluna de semana passada furou. :38
MAS essa semana eu estou de volta! A Tatiana ainda está com dor, mas não está tão ruim quanto estava antes, então fico mais tranquila! Continuarei com as capas minimalistas de semana retrasada, porque nada melhor do que a simplicidade para alegrar dias difíceis, não é verdade? Espero que gostem, e até semana que vem! :31

Os Diários de Carrie – Candace Bushnell

OS_DIARIOS_DE_CARRIE_1272940303P Acho que todo ser humano já ouviu falar em Sex and the City, certo? Se você nunca ouviu falar, peço-lhe que saia debaixo da pedra onde vive e vá ao Google! Todo mundo adora a Carrie! Mesmo se você só viu a série, só assistiu alguns episódios, só viu os filmes, ou todas as alternativas anteriores, você já ouviu falar nela. E esse livro é uma gracinha não só para os fãs, mas para todos aqueles que adoram histórias de adolescentes. Para completar, essa ainda é ambientada nos anos 80!
A história começa com Carrie no último ano do ensino médio junto com seus amigos inseparáveis Walt, Lali e Maggie. Em sua vida, aparece Sebastian Kydd, um bad boy intrigante e imprevisível. Ela está em um relacionamento que sempre quis ter na escola, mas uma traição de um amigo a faz questionar tudo. Talvez essa seja a hora de correr atrás de tudo o que sempre quis.
Eu lembro que comprei o livro logo que lançou, e adorei o momento em que abri o pacote e o vi. O dourado brilhando na minha cara, o “Carrie” escrito em rosa me chamando… E o cara que chegou logo em seguida, viu o livro e abriu ele demais :06 . Ai que raiva. Mas isso não ofuscou o momento, e quando terminei de ler, fiquei com aquele gostinho de quero mais. Eu já havia me apaixonado pela capa desde a primeira vez que eu vi, e no final, amei ainda mais, porque acho que tem tudo a ver com a história. Eu imaginava que a capa do segundo seria no mesmo estilo brilhante, mas infelizmente me decepcionei.

Spell – O Diário – Lana Oliveira

SPELL__O_DIARIO_1333596647P Mudanças não são fáceis, mas geralmente são sempre uma aventura. Bell Daniels, acabou de se mudar para Seattle, conheceu Mike e Pietro, dois garotos que dividiram seu coração, e também conheceu Maya, a namorada de Mike. Só que não foi exatamente por conhecer essas pessoas que sua vida mudou: ela descobriu um diário de 1572 que conta a história dos antepassados da família de Pietro. Mesmo com as mudanças, ela decide descobrir mais sobre esse diário e, para tanto, ela precisa ir à Paris, onde se encontram as respostas para tantas dúvidas. Só que outras dúvidas surgem: quem ela deve escolher? Quem ela pode confiar? E o que, exatamente, ela deve descobrir?
Bom, eu adoro essa capa com o colar. Ele é tão simples! E acho que pode ter alguma coisa a ver com o diário e os segredos dele. Outra coisa que eu gosto na capa é o diário, porque não dá pra ver muito, mas dá pra imaginar que é daqueles bem antigos mesmo (dãã, lógico que é antigo, se é de 1572!), estilo senhoritas da realeza que anotavam suas paixões proibidas e seus medos da época.
Não tenho diário, mas costumava usar uma agenda para escrever tudo o que me acontecia durante os dias. Hoje já não tenho mais paciência para isso, mas a Tatiana ainda usa, e é ótimo, porque no final do ano sempre termina aquele verdadeiro bolo de colagens e páginas coloridas, do tipo que fica difícil de escrever no mês de dezembro, e ali fica registrado um verdadeiro tesouro de acontecimentos. Vocês usam diário?

O Homem dos Meus Sonhos – Curtis Sittenfeld

O_HOMEM_DOS_MEUS_SONHOS_1237462670P Sabe um programa que eu gostava muito de assistir? Casamentos Espetaculares, que passava no Discovery Home & Health. Gente, vocês não tem ideia de como as pessoas gastavam horrores para fazer um casamento digno de princesa! Não gastaria dinheiro com isso, mas que deve ser legal ter um casamento daquele porte, com certeza deve!
Pois é. Hanna Gavener tem 14 anos, está no verão de 1991. Nas revistas que ela lê, as celebridades planejam casamentos cinematográficos (bem estilo Casamentos Espetaculares), mas a realidade está bem longe disso. Seu sonho é encontrar o homem ideal. Depois que o tempo passa, ainda assim fica difícil saber se encontrou o cara certo ou não, porque pensem: ele pode ser uma pessoa super agradável, mas às vezes não te dá arrepios. Se casar por conveniência é sinônimo de fracasso? E se mudar de cidade para seguir um homem que talvez não mereça sua atenção? Até que ponto nossas experiências podem influenciar nossa vida?
Bom, pelo o que eu vejo, esse livro é daqueles “ame ou odeie”, porque tem gente que gosta, e tem gente que não quer nem chegar perto. Eu tenho vontade de ler, a sinopse me deixou curiosa, mas com certeza não está entre os livros “preciso desesperadamente”. Sobre a capa, bom, acho que a gravata expressa bem o título. E fico pensando ao ver a gravata: como é que as pessoas sabem dar nó nela? Sério, eu já assisti a alguns vídeos ensinando os passos, mas ainda é um verdadeiro mistério. Se quando eu casar o meu marido quiser que eu faça os nós, bom, digamos que vou deixá-lo na mão.

Amor em Minúscula – Francesc Miralles

AMOR_EM_MINUSCULA_1230585288P Samuel é um professor de literatura alemã que vive solitário e fechado em seu apartamento. Só sai para dar as aulas. Tudo em sua vida muda a partir do dia em que aparece um gato à sua porta. Ele começa a alimentar o bichinho, que o leva até Titus, um redator que lhe ensinará muitas coisas. Para completar, ele reencontra Gabriela, seu amor de infância!
Não dá pra imaginar que um gato possa mudar tanto a vida de uma pessoa, mas é verdade! Tem gente que não gosta, que tem alergia, que acha que eles na verdade são traiçoeiros… Independente do que eles sejam, são muito fofos, e toda vez que ouço falar de gato, simplesmente não consigo não associar a esta cena de A Verdade Nua e Crua, porque sério, quando ele diz: “I’m a cat person”, lembro que TODOS no cinema começaram a rir da situação.
Eu adoro essa capa, acho a simplicidade dela conquistadora. Tipo, em um mundo onde capas psicodélicas e cheias de efeito conquistam cada vez mais os leitores (e eu me incluo neles, porque adoro capas diferentes! :27 ), chega a ser um alívio ver uma capa simples, só com um gato ilustrando. Chama a atenção quase que do mesmo jeito.

The Summer of Firsts and Lasts – Terra Elan McVoy

THE_SUMMER_OF_FIRSTS_AND_LASTS_1290642424P Bom, dá pra perceber que esse livro ainda não foi lançado no país, mas nós amamos essa capa e estamos loucas para comprar e ler! Olha esse sorvete. Olha bem. Me diz: tem como recusar? NUNCA! Sorvete é bom demais! Acho que só por ser sorvete merece estar aqui. Poderia ter mais mil coisas na capa, mas tem o sorvete. Ou seja: motivo de sobra para entrar nessa lista.
Conta a história de três irmãs durante um verão que irá mudar a vida delas. A Calla ama o verão porque ele significa Duncan, seu melhor amigo de anos, que ela nunca teve coragem de dizer a ele o que realmente sente. Mas esse é o último verão antes da faculdade, então é a sua última chance de falar. Já Violet é do tipo certinha, que não quebra as regras, mas esse verão é diferente e ela está determinada a fazer com que ele valha a pena. Até porque, sair às escondidas não é tão grave assim, ainda mais se for com James, que vale 100% o risco. Daisy, por outro lado, nunca foi a irmã que atraía a atenção dos garotos, até conhecer Joel na primeira festa de fogueira do verão – faíscas voaram entre os dois. Mas então por que está sendo tão complicado ser sua namorada?
Agora sério: Como não querer um livro desses? Não é à toa que eu e a Tatiana ficávamos discutindo horas para decidir de quem seria o livro – ela ganhou :37 – porque livros com histórias de amor de verão são muito fofas, são sonhadoras, inspiradoras, apaixonantes e mais um pouco. Se você já leu esse livro, nos conte: o que achou? Se nunca tinha ouvido falar, conte: ficou com vontade de ler?

4 comentários
Tags: , , , ,


Bookaholic News #54
Monday 09/09/2013 às 09:18 | Arquivado em: Bookaholic News

Olhem só quantos lançamentos lindos!
Estou bastante ansiosa para ler Quando uma garota entra em um bar, Os adoráveis e Escola 2: O rebelde está de volta. E não gostei da capa de Até eu te encontrar, mas a ideia do livro parece ser legal. *-*

LANÇAMENTOS

1146485_648022741882114_494209885_n Título: Até eu te encontrar.
Autora: Graciela Mayrink.
Editora: Novo Conceito.

Sinopse: O quanto uma mudança de cidade pode afetar uma vida? Você acredita em alma gêmea? Como você se sentiria se não gostasse do grande amor da sua vida? É o que Flávia vai descobrir ao deixar Lavras, onde mora com os tios desde o acidente que matou seus pais, quando era criança. Aos dezoito anos, ela decide estudar Agronomia na Universidade Federal de Viçosa, trocando o sul de Minas pela Zona da Mata do mesmo Estado na esperança de uma “mudança de ares”. Em sua nova vida, ela conhece Sônia, amiga de infância de sua mãe e agora sua vizinha, que lhe conta a história de sua família materna, até então desconhecida para Flávia. Embora o passado não seja sua maior preocupação, Flávia reluta em aceitar seu destino e ainda precisa superar uma paixão não correspondida pelo seu melhor amigo. Para se ver livre dessa rejeição, ela tenta atrair sua alma gêmea para Viçosa e descobre que o grande amor de sua vida é uma pessoa que ela não suporta.

OS_ADORAVEIS_1377710709P Título: Os adoráveis.
Autora: Sarra Maning.
Editora: Novo Conceito.

Sinopse: Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “Melhor Blog sobre Estilo de Vida” pelo e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos. Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável. Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane. Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossu¬ ciente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso). Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “ex” — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.

QUANDO_UMA_GAROTA_ENTRA_EM_UM_BAR__1377712770P Título: Quando uma garota entra em um bar.
Autora: Helena S. Paige.
Editora: Novo Conceito.

Sinopse: Então você se arrumou toda para uma noite de amigas, daquelas onde só as mulheres participam, mas suas amigas mudaram de planos sem avisar e, agora, você está sozinha em um bar superbacana, arrumada e perfumada, e sem saber bem para onde ir… O que você faz? Aproveita que já está por ali, pede uma tequila e dá uma boa olhada no yuppie que está na mesa ao lado? Ou pede uma cerveja e vai pra perto do palco arrebatar o baterista? Pode ser que você prefira uma paquera com o rapaz de botas de bico fino e músculos trabalhados que está encostado à parede. Ou, quem sabe, tomar um café com o bombeiro que está cuidando da segurança dos clientes e que, neste instante, está verificando o funcionamento do extintor… E isso tudo só pra começar! A escolha é sua — e você tem um mundo de possibilidades nesta noite que parecia começar mal! Só não espere que esta experiência seja como outra qualquer, porque esta noite ficará definitivamente marcada em sua memória de erotismo e paixão. Divirta-se com esta definitiva experiência sensual onde você, e só você, terá o controle de seu próprio prazer!

CORACOES_FERIDOS_1377710022P Título: Corações feridos.
Autora: Louisa Reid.
Editora: Novo Conceito.

Sinopse: Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa. No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte… Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade?

LICOES_DO_DESEJO_1377290305P Título: Lições do desejo.
Autora: Madeline Hunter.
Editora: Arqueiro.

Sinopse: Atraente, sutil e tentador, lorde Elliot Rothwell é um homem acostumado a fazer sucesso entre as mulheres e a conseguir tudo o que deseja delas. Mas isso não se aplica a Phaedra Blair. A brilhante e exótica editora não parece disposta a ceder a seu pedido e cancelar a publicação das memórias de um membro do Parlamento que podem manchar o nome da nobre família Rothwell. A pedido de seu irmão mais velho, o marquês de Easterbrook, Elliot vai a Nápoles para negociar com Phaedra. Historiador de renome e autor de livros respeitados, tudo indica que ele seja a pessoa ideal para a tarefa. Porém, em vez de encontrar a bela mulher descansando à beira do mar Tirreno, Elliot descobre que ela está presa por causa de uma acusação injusta. Graças ao prestígio da família, o nobre consegue libertá-la, mas também se torna responsável por ela até voltarem à Inglaterra. Percorrendo juntos uma das regiões mais belas e românticas da Europa, eles vão descobrir que discordam de quase tudo o que o outro pensa ou faz – exceto o que fazem juntos na cama. E, nessa aula de prazer, será cada vez mais difícil saber qual dos dois tem mais a ensinar.

O_AMOR_MORA_AO_LADO__1377712966P Título: O amor mora ao lado.
Autora: Debbie Macomber.
Editora: Novo Conceito.

Sinopse: Lacey Lancaster sempre quis ser esposa e mãe. No entanto, depois de um divórcio bastante doloroso, ela decide que é hora de dar um tempo em seus sonhos e seguir sozinha mesmo. Mas não tão sozinha: sua gatinha abissínia, Cléo, torna-se sua companhia de todas as horas. Até é uma vida boa — um pouco aguada, é verdade — a de Lacey. A não ser por seu escandaloso vizinho, Jack Walker. Quando Jack não está discutindo, sempre em voz muito alta, com sua namorada — com quem insiste em morar junto — está perseguindo seu gato, chamado Cão, pelos corredores do prédio. E Cão está determinado a conseguir que a gatinha Cléo sucumba aos seus avanços felinos. Jack e Cão são realmente muito irritantes. Mas acontece que a primeira impressão nem sempre é a que fica…

ESCOLA_2_1377548665P Título: Escola 2: O rebelde está de volta.
Autor: James Patterson.
Editora: Arqueiro.

Sinopse: PARABÉNS! Parece que você sobreviveu ao sexto ano! (Sei que foi difícil.) Mas adivinhe só! Um novo ano está se aproximando. Fique tranquilo – eu lhe dou cobertura. 1º passo: Leia a minha história. 2º passo: Não faça o que eu fiz. Bem-vindo ao segundo pior ano da minha vida!

Comentários
Tags: , , , , , ,


Coluna das Gêmeas #140 – Capas Minimalistas
Sunday 01/09/2013 às 10:06 | Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Oi, gente! E não é que a semana da Bienal do Livro do Rio de Janeiro FINALMENTE chegou? Nós queríamos MUITO poder ir, mas as coisas estão bem agitadas em casa essa semana – e acho que de um jeito bom! Mas por mais que tudo aqui esteja indo bem, sempre dá aquele apertinho no coração por saber que muita gente bacana que gostaríamos de conhecer estará lá e que ainda não será dessa vez que iremos nos conhecer, né? Isso sem contar nos bate-papos, nos autores internacionais e nacionais e, CLARO, nas promoções de livros! Vocês já viram algumas fotos? Dos poucos comentários que eu vi (sim! Só vi poucos, apesar de todo mundo só estar falando disso! Isso que dá ficar sem muito tempo livre!), não tem taanta coisa assim nos estandes das editoras, mas em compensação nas de livrarias… Se eu e a Fernanda já quase tivemos um surto Becky Bloom na Bienal daqui de Minas (fizemos uma breve cobertura do que aconteceu lá!), imagina na Bienal do Rio? São muito mais estandes, livros, pessoas e tentações à nossa volta!
Foi pensando na numa possível wishlist pra Bienal eu que me toquei que nem sempre precisamos de um livro com Aquela capa pra nos impressionar – aliás, muitos livros por aí têm saídos com capas bem minimalistas, o que é ótimo pra nos desapegarmos daquela velha mania (que muita gente não admite que tem!) de julgarmos um livro pela capa! Por isso, para a coluna dessa semana selecionamos alguns livros com apenas um adereço na capa!
Tenham uma ótima semana! E se forem na Bienal, não esqueçam de nos contar sobre as tentações! :26

Métrica – Colleen Hoover

METRICA_1373286665P Eu me lembro que quando o lançamento desse livro foi anunciado, eu não prestei muita atenção – e não só pela capa ser muito simples, mas pelo fato de que ser toda preta me fez pensar que seria mais um sobrenatural – e eu acho que estou um pouco cansada dessa temática. Mas enfim, eu não imaginava que esse livro fosse virar quase que uma prioridade na minha lista de desejados depois de TANTAS resenhas positivas a seu respeito! Sério, eu estou muito surpreendida!
Antes de mais nada, ele não é nenhum sobrenatural. Eu acho que a capa preta tem a ver com o fato de que a protagonista, Layken, estar sofrendo muito com a morte de seu pai, que se fora de uma hora pra outra. Quer dizer, que coisa horrível de se viver, não é mesmo? Embora essa situação seja um tanto quanto assustadora, o fato dela ter apenas 18 anos não a impede de assumir também algumas responsabilidades emocionais dentro de casa, como tentar dar um pouco de conforto para sua mãe e seu irmão mais novo. Acho que essa é uma das coisas que mais me faz querer ler esse livro, porque acho que nesses últimos anos eu venho passando por essa fase de amadurecimento e de dúvidas, entendem? Sei lá, é parte do crescimento e todo mundo passa por isso, mas eu vejo isso claramente acontecendo comigo, principalmente quando eu comparo o que eu estava passando no ano passado, nessa mesma época, com o que estou vivendo agora.
Enfim, a Layken também deveria estar vivendo tudo isso, mas de uma forma bem menos traumática. E é aí que as coisas começam a melhorar um pouco pra ela, com a entrada do vizinho em sua vida, um cara que parece ser justamente aquilo que ela não consegue encontrar em mais ninguém. Romance + drama? É isso mesmo que eu estou vendo aqui? É isso que ainda não está na minha estante e que está gritando pra vir aqui pra casa? Sim, senhoras e senhores! E, até onde eu sei, esse livro é o primeiro da trilogia Slammed e foi um sucesso na lista dos mais vendidos do The New York Times! Sem contar que foi seu livro de estreia! Com ceretza vou querer acompanhar o trabalho de Colleen!

O Hipnotista – Lars Kepler

O_HIPNOTISTA_1317320690P Quando eu olho para tesouras, em geral, uma pessoa sempre aparece na minha cabeça: Nazaré Tedesco, aquela vilã muito bem interpretada pela Renata Sorrah em Senhora do Destino, de 2004, que divertiu muita gente com suas caras, bocas e tiradas. Tudo bem que ela era bem má e um tanto quanto fora da realidade, mas ela é quase a versão brasileira da Paola Bracho! hahahahahahha E embora a tesoura sempre me faça pensar nela, a história por trás desse livro é BEM diferente da novela: primeiro que há mortes que não causadas por uma queda na escada, mas sim por um massacre :07 . Mas o mais impressionante é que um dos filhos dessa família morta, de 15 anos, sobrevive mesmo depois de levar mais de 100 facadas! MINHA NOSSA, GENTE! Com toda a polícia e eu em choque e o assassino ainda foragido :08 , o detetive Joona Linna resolve investigar o acontecimento e colocar ordem na casa, mas o problema é que ele não vai conseguir tantas informações assim com um garoto que está em estado de choque, não é mesmo? Quer dizer, por mais que ele tente colaborar, COMO ajudar alguém quando tudo o que você precisa é de ajuda? A única solução que o detetive encontra para ter acesso às lembranças do menino é o uso de hipnose, mas existe um problema nisso> o médico responsável por essas hipnoses, Erik, pelo visto já teve problemas com a tal técnica… Ou não, mas até onde eu li, acho que já teve sim. Enfim, o que importa é que, quando essas sessões realmente começam, a investigação se transforma…
Esse está longe de ser um livro que eu leria e acho que vocês já adivinharam isso antes mesmo de eu começar a falar sobre ele, mas e não é que eu fiquei curiosa pra saber como a história termina? Ainda acho que não tenho a coragem pra ler, realmente, o livro, mas posso procurar spoilers, não posso? :14

Minha Vida Indecisa – Jessica Brody

MINHA_VIDA_INDECISA_1346949595P Parem tudo: o que seria das nossas vidas sem mouses? Eu sei que muitas pessoas vivem ótimas sem esse acessório, não sentem nenhuma dificuldade… Mas nossa, já jogaram Candy Crush com um mouse de notebook numa daquelas fases de tempo? É HORRÍVEL! Sem contar que ele é ótimo para arrumar trabalhos, independente se for no Word, no Excel, no PowerPoint… Enfim, mouses são importantes para mim, e já foram muito importantes para todos nós que mexemos na internet. (Sim, estou falando do acessório mesmo, porque mouse mesmo ninguém vive sem, já que tem o mouse de touch no notebook).
Aliás, ele ilustra bem aquelas pessoas que usam internet, e Brooklyn Pierce é um ótimo exemplo disso. Ela tem 15 anos e um sério problema com decisões, porque 99,9% das vezes elas não são boas – tipo a de quando ela decidiu fazer uma festa quando os pais estavam viajando e, acidentalmente, a casa pegou fogo. Mas agora as coisas podem tomar rumos diferentes, porque ela decidiu criar um blog em que os leitores tomam as decisões por ela – desde pequenas como qual o livro que ela vai ler para a aula de Inglês até o carinha que ela vai sair! O problema é que nem sempre as coisas acontecem de acordo com as nossas escolhas (ou a dos outros), e uma delas é o amor.
Vocês conseguem se imaginar nessa situação, em que as pessoas fazem as escolhas da sua vida? NUNCA! Quando li a sinopse, em inglês, lembro que fiquei louca para comprar, mas aí lançaram o livro aqui e, até agora, não tomamos vergonha na cara e compramos. Poderíamos até colocar na mão de vocês a decisão de comprar ou não, mas nós vamos. Só não sabemos quando exatamente. :14
Enfim, olha a loucura da Brooklyn! Pessoas estranhas, que nunca falaram com ela, podem simplesmente decidir o que ela vai fazer! Com certeza muitos problemas e situações engraçadas devem acontecer, e preciso saber o que vai acontecer no final! Quando exatamente ela vai perceber que precisa tomar novamente suas próprias decisões? (porque não é possível o livro terminar com ela sendo guiada pelos outros, simplesmente não tem como! :23 ).

Corpo de Delito – Patricia Cornwell

CORPO_DE_DELITO_1357910572P Esse é o segundo livro da série da médica legista Kay Scarpetta, que tem como primeiro livro Post Mortem. Nesse segundo, ela precisa desvendar um mistério que vem rondando assassinatos em uma mesma família. Para começar, a filha adotiva de um escritor famoso chamado Cary Harper foi cruelmente assassinada. Depois ele é a vítima, e logo a irmã dele morre em circunstâncias igualmente misteriosas. Perguntas como “Quem matou? Por que matou?” rondam a cabeça de Kay, e ela começa a seguir as poucas pistas deixadas pelo criminoso. Além delas, ela sai a campo com o chefe de polícia Pete Marino e o agente do FBI Benton Wesley para solucionar o caso. Enquanto ideias sobre o que aconteceu vão e vem, um dia ela recebe a visita de um desequilibrado mental que afirma ser capaz de enxergar a alma de um criminoso. :23
Tipo assim: Que. Medo. Do. Caramba. Sério, esse negócio de ficar vendo corpos de pessoas assassinadas não deve ser legal, e ter que descobrir o que aconteceu sem dúvida não me parece uma coisa legal de se fazer para ganhar o pão de cada dia. AINDA MAIS quando aparece alguém dizendo que pode enxergar a alma de um criminoso. QUER DIZER. :07
É por essas e outras que eu detesto olho mágico. Assim, eu não gosto de abrir a porta sem antes dar uma olhadinha, só para me certificar que é uma pessoa de confiança e que dá para abrir a porta, mas e quando alguém resolve colocar o dedo no olho mágico? :29 Tem um apartamento no meu andar que na porta, no lugar do olho mágico, tem um buraco preto. Sério, medo eterno. E pra piorar essa minha paranoia, uma vez eu vi um pedacinho de um filme (nem adianta me perguntar qual era, porque era qualquer um aleatório que meu pai de vez em quando começa a assistir na metade) que, na hora que a mulher coloca o olho no olho mágico para ver quem era, leva um TIRO! NO OLHO! Preciso dizer mais alguma coisa sobre olho mágico?

A Sociedade Cinderela – Kay Cassidy

A_SOCIEDADE_CINDERELA_1364946387P Aos 16 anos, Jess Parker se acostumou a ser a menina invisível porque sempre mudou de escola e sempre foi a garota nova. Ela queria isso para sua vida? Não. Na verdade, ela queria ser líder de torcida – e, por incrível que pareça, dessa vez ela consegue. Só não imaginou que tiraria o lugar da garota mais popular do colégio – que não deixará por menos. Depois de defender uma garota, ela recebe um convite para comparecer ao moinho, usando um broche de sapatinho prateado que veio junto com o envelope. Essa é sua convocação para a Sociedade Cinderela: um clube secreto de garotas populares da escola. Quando você pensa em Cinderela, o que vem primeiro à sua cabeça? Provavelmente é a transformação dela, certo? Pois então, nessa sociedade também há transformações, mas está longe de ser somente isso, e Jess logo vai descobrir!
Este é mais um livro que eu queria ler ainda antes de ser publicado no Brasil, e também está na lista de “ainda não tomei vergonha na cara e não comprei”. Gente, precisamos ler esse livro! Primeiro porque parece muito legal, segundo porque essa capa é linda, e nossa, queremos um sapatinho da Cinderela! Não como o que o Christian Louboutin fez, porque honestamente, não tem nada a ver (e porque seria meio impossível, já que só existem 20 pares dele no mundo), mas porque o sapatinho em si consegue representar tudo aquilo que sonhamos quando somos crianças: magia, príncipes encantados, fadas madrinhas… Independente se o sapatinho for o tradicional, o de Para Sempre Cinderela ou aquele que você viu na vitrine e se apaixonou, mais importante que um sapatinho é conseguir fazer que seu sonho se torne realidade! :12 Because a dream is a wish your heart makes

4 comentários
Tags: , , , ,