coluna-das-gemeas category image
Coluna das Gêmeas #46 – Cores
Sunday 23/10/2011 às 07:04 1767 Views Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Olá, Bookaholics queridos! Depois daquele feriadão e do Horário divo de Verão, como foi a semana? Aqui choveu bastante, deixando os dias um pouco cinzas… Mas confessamos que as coisas têm estado um pouco escuras demais, já que a nossa mãe e nosso irmão viajaram para Campo Grande para o Enem (um absurdo você não conseguir mudar a cidade onde fará a prova, né? E como ficam as pessoas que se mudam durante o ano?). Somos extremamente apegadas à nossa mamãe :23 , porque é como se ela fosse uma 3ª gêmea, está sempre conosco e faz parte de quase tudo que estamos envolvidas. Mas vai passar rápido e na terça eles já voltam, daí tudo voltará a ser colorido e feliz! :16
E não sei se fomos só nós que percebemos, mas volta e meia estamos associando cores às nossas emoções, descrições e a tudo, basicamente. Você não vê as coisas numa lente cor de cosa quando está apaixonada? A vida não fica mais azul quando você está feliz? O dia não fica cinza quando tudo dá errado? Você não fica verde quando está enjoado? Você, que é supersticiosa, não acaba escolhendo uma cor específica de calcinha no Ano-Novo e usa branco durante a passagem? Pois então, a literatura também possui muitas referências às cores, inclusive nos seus títulos! Pode ser que elas estejam lá só para descreverem algo, mas cor pode ser sempre mais que a interpretação de ondas magnéticas que seu olho percebe! :11 Comece a prestar mais atenção nos títulos e veja que eles sempre têm algo mais a dizer!
Ah! E pesquisamos o significado das cores! Para o caso de vocês se interessarem por mais informações, vale super à pena ver o conteúdo completo no site!

A Bolsa Amarela – Lygia Bojunga

Odeio quando vejo crianças que não tem a atenção dos pais. É fundamental para o crescimento delas ter sempre alguém que a guia, escute, ensine e oriente quando faça alguma coisa errada, não é verdade? Esse não é bem o caso da protagonista desse livro, a Raquel, que por ser sempre muito sozinha, acaba criando um mundo para si. Todas as suas maiores vontades são reprimidas (1ª vontade: crescer; 2ª vontade: ser garoto, porque eles sempre podem fazer tudo, enquanto que as meninas não; e 3ª vontade: se tornar escritora), mas as coisas começam a mudar quando ela ganha a bolsa amarela de sua tia Brunilda, uma mulher muito rica que é sempre adulada por todos de sua família (e Raquel nem lhe dá muita bola). Nessa bolsa, a Raquel vai guardar suas vontades e aprender, com o passar do tempo, que não precisa mudar sua realidade para ser feliz. :04
Não sei vocês, mas eu adoro essa capa! Quando vi pela primeira vez, pensei que pudesse ser alguma bolsa mágica, que guardava segredos e que podia fazer coisas incríveis. A imaginação correu solta, então não tinha como não pegar o livro e descobrir do que falava. Quero muito ler! Será que a Raquel vai conseguir a atenção da família? Será que vai guardar para sempre a bolsa, ou passar para alguém? Aliás, acho muito legal quando as pessoas usam as coisas que herdaram das avós, bisavós… Não tudo, porque tem coisas que acredito que nem na época delas era legal :26 , mas, mesmo que nem seja tão bonita assim, usa porque tem valor sentimental. É tão bonito! Tenho um anel que era da minha avó, mas para usá-lo teria que cortar muito, e ia desfazer o desenho original, então fica guardado mesmo…

Amarelo: O amarelo é uma cor que desperta, que expressa leveza, descontração, otimismo. Simboliza criatividade, jovialidade e alegria. É também uma cor que carrega grande energia, transmitindo otimismo.

A Dama Azul – Javier Sierra

Quem aqui não gostaria de estar em dois lugares ao mesmo tempo? Estar cumprindo suas obrigações, por exemplo, e se divertindo em outro lugar? Comendo um brigadeiro em uma cafeteria e comendo outro em uma padaria? :23 Uma freira espanhola tinha esse dom, o de “bilocar“, e esteve envolvida no processo de catequização em uma tribo indígena do Novo México há três séculos enquanto que, ao mesmo tempo, fundava um convento no distante povoado de Ágreda, na Espanha. Mas o que essa mulher do século XVII tem a ver com duas pessoas da atualidade? Jennifer Narody é uma antiga espiã do Departamento de Defesa dos EUA e sempre tem pesadelos sonha com essa mulher vestida de azul, enquanto que na Espanha, o jornalista Carlos Albert está isolado no povoado de Ágreda devido a uma tempestade de neve. Enquanto realiza sua pesquisa a respeito do poder da freira, um sacerdote de Roma supostamente se suicida e Carlos então acaba indo para Los Angeles para investigar mais. E sabe aqueles pesadelos de Jennifer? São a chave de vários mistérios que envolvem a Igreja católica e até mesmo o Departamento de Defesa! :34 Quem disse que sonhos não têm significado, hein? :31

Azul: É a cor do espírito e do pensamento. Simboliza a lealdade, a fidelidade, a personalidade e sutileza. Simboliza também o ideal e o sonho. É a mais fria das cores frias.

Branca como o Leite, Vermelha como o sangue – Alessandro D’Avenia

Ter dezesseis anos é uma beleza! Você está próximo da maioridade, ainda não tem tantas obrigações como um adulto, por exemplo, e definitivamente sonha com muitas coisas para o futuro. Leo era como um adolescente que você conhece: ama conversar com os amigos, sair para jogar futebol, ficar ouvindo música no iPod, acha que a escola é uma tortura (POR QUE quase todo mundo acha isso? Eu gostava de ir! :02 Tudo bem que eu pularia tranquilamente a parte da química, física e biologia, mas mesmo assim!) e tinha uma garota que gostava muito, a Beatriz. Só que ela está muito doente, então ele precisará deixar sua juventude para traz para se transformar em um verdadeiro adulto, com maturidade e responsabilidade.
A característica marcante na narrativa do Alessandro é a utilização das cores para descrever os sentimentos e sensações do Leo – por isso também esse livro não poderia ter ficado de fora da coluna. O branco, por exemplo, é sinônimo de solidão e silêncio, e, nas palavras do personagem: “O branco é uma cor que não suporto: não tem limites”.
Estou louca para ler esse livro, desde que li a sinopse que a Bertrand divulgou quando disse que seria lançado. Gosto de ver o crescimento dos personagens, quando eles percebem o tanto de coisas banais que dão importância, quando na verdade deveriam agradecer pelo o que tem e passam a dar valor a isso. Temos que dar valor para coisas como saúde e família, porque sem elas, não teria nem como desejar alguma coisa! :28 Como diria Sinhozinho Malta: “Tô certo ou tô errado?” (Aliás, vocês estão assistindo Roque Santeiro no canal Viva? Eu tenho MUITO medo do lobisomem! :34 E acho o cúmulo a Porcina dormir com tanta maquiagem!)

Branco: Transmite paz, de calma, de pureza. Também está associado ao frio e à limpeza. Significa inocência e pureza.
Vermelho: É a cor da paixão e do sentimento. Simboliza o amor, o desejo, mas também simboliza o orgulho, a violência, a agressividade ou o poder.

Aqueles Olhos Verdes – Pedro Bandeira

Todo mundo passa pela adolescência e, com ela, vêm algumas brigas com os pais, já que pela primeira vez estamos vendo as coisas com os nossos olhos e começando a ter as nossas próprias interpretações, o que acaba gerando alguns conflitos de opiniões. Discutir geralmente não leva ninguém para frente, mas infelizmente, com o calor do momento, é o que mais acontece e, no final das contas, alguém sempre acaba magoado. Luci é uma adolescente que não está muito satisfeita com a sua situação e acaba discutindo com sua mãe, pois acha injusto seu quarto não ser do tamanho ideal (adolescente tem que ter seu espaço e quartos como esse e esse são um sonho de consumo! :23), com a falta de dinheiro da família, que não pode lhe oferecer tudo o que quer ter e porque, ao contrário de seu irmão, que estuda numa universidade pública e já se sustenta, ela não tem independência.
Mas se você ainda não sabe como lutar contra aquilo que não gosta, uma das coisas que pode fazer é tentar relaxar e pensar em uma solução com a cabeça limpa, né? #conselhodeamiga Luci sai com suas amigas para dar uma volta no shopping e acaba se deparando com a solução: uma oferta de emprego! Entretanto, Luci não sabe se está pronta para dar esse passo, porque apesar de querer muito o dinheiro e a independência, ter um emprego requer muita responsabilidade e maturidade, que ela ainda não tem certeza se tem. Será que ela vai conseguir se candidatar? Será que ela consegue o emprego e melhorar de vida? Eu também quero descobrir! :30

Verde: Significa vigor, frescor, esperança e calma. Representa as energias da natureza, da vida, esperança e perseverança.

Tortura Cor de Rosa – Lycia Barros

Todo mundo sabe o que é e que é errado, mas, mesmo assim, o bullying ainda acontece. Pior que isso: aqueles que ficam indignados muitas vezes não fazem nada nem contra o agressor (ou agressores), nem defendem a vítima. É tão difícil assim conviver com pessoas diferentes? É necessário mesmo ter que atormentar as pessoas? :06
Ava, ao mudar-se para São Paulo, tinha um milhão de idéias, sonhos e desejos, mas nunca passou por sua cabeça que seria vítima da crueldade de um grupo de garotas que tornam sua vida um verdadeiro inferno. Tudo porque, no primeiro dia de aula, acabou sentando na cadeira da Jaque. Tudo bem que a Yoshie avisou e tudo o mais, mas como ela poderia saber que no primeiro dia a cadeira já era de alguém? E desde quando isso é motivo para ser perseguida?
Vários filmes mostram essa realidade horrível de alguns adolescentes, e é de deixar qualquer um revoltado. Tem pessoas que passam a vida inteira sofrendo por conta das agressões que sofreu quando era mais jovem. Outras se revoltam e resolvem canalizar essa raiva para fazer o mal. Aliás, eu vi uma reportagem no G1 que, de acordo com um estudo nos Estados Unidos, o bullying motivou 87% dos ataques em escolas (leia aqui). Alguns clipes musicais também mostram essa realidade, como Make It Stop, do Rise Against e Who’s Laughing Now, da Jessie J. Bullying é sério, não pode ser ignorado. Você pode denunciar para os professores ou pais, mas o mais importante é lutar contra! Faça sua parte!

Rosa: É a cor da beleza, do romantismo, do amor terno e carinhoso. Expressa empatia e o companheirismo.




Sobre o autor do post:

Ei, você! Sou Tatiana, mineira de coração e com 23 anos nas costas. Sou uma geminiana que está bem próxima daquela descrita pelo signo - ou seja, não consigo ficar presa a uma coisa só por muito tempo e estou sempre pensando em tudo. Sou fangirl em tempo integral e me envolvo com muita facilidade nas histórias das minhas novelas mexicanas. Estudo RI (ESTÁ ACABANDO! O QUE SERÁ DA MINHA VIDA?), mas quero fazer milhares de coisas na minha vida, desde ser designer de interiores até pesquisadora sobre cultura. Ouço muita música velha, leio muitos livros (quando posso) e amo quase tudo que envolva algodão doce. Também não ligo se você preferir me chamar de Fernanda - acontece muito, veja bem.
E-mail: tatitaleite@gmail.com



Posts Relacionados








16 Comentários em “Coluna das Gêmeas #46 – Cores”