coluna-das-gemeas category image
Coluna das Gêmeas #113 – Para o Interior
Sunday 17/02/2013 às 09:00 1482 Views Arquivado em: Coluna das Gêmeas

O carnaval realmente acabou, e parece que o ano finalmente começou. Ao mesmo tempo que ficamos animadas com um novo começo, com tantas coisas que podem acontecer conosco, ainda assim surge uma preguiça de continuar. Já sentiram isso? Todo início de semestre é assim com a gente, mas é só passar os primeiros três dias de aula que tudo volta a ser como antes – coisas para ler, para estudar, nenhum tempo para os livros – vida normal.
Nessas horas que ficamos com preguiça, a vontade que dá é de fugir por um tempo. E quer fugir para um lugar melhor que o interior, onde você não vai ter todas as distrações do mundo e ainda terá tempo para pensar no rumo da sua vida, se tudo o que você está fazendo realmente é aquilo que deseja?
Nem sempre ir para o interior é bom para algumas pessoas, enquanto que para outras, é uma das mudanças mais significativas da vida, como com alguns personagens dos livros que escolhemos para essa coluna. Nós já até fizemos uma coluna parecida com essa, mas era o contrário: as pessoas saíam do interior para enfrentar a cidade grande (você pode conferi-la aqui!). Com cada pessoa é diferente! O que você preferiria?
Aproveitem as dicas, tenham uma ótima semana pós-carnaval e até domingo que vem!

O Livro do Amanhã – Cecelia Ahern

O_LIVRO_DO_AMANHA_1358977078P Tamara Goodwin, de 16 anos, estava acostumada ao luxo desde pequena, e por causa disso nunca precisava se preocupar com o amanhã – até seu pai morrer subitamente, e ela e sua mãe se verem cobertas de dívidas. Isso as obriga a se mudarem para um vilarejo no interior, onde moram os tios da menina. Além de se sentir solitária, ela vivia entediada, e sua única diversão era uma biblioteca itinerante (!).
Nessa biblioteca, ela encontra um livro misterioso que tem inscrições com sua própria letra e datadas para o dia seguinte. E mais: tudo acontece exatamente como o livro previa. :28 Tamara pensa que encontrou a solução dos seus problemas, mas acaba descobrindo que é melhor não virar algumas páginas e que, apesar de muito tentar, ela não pode mudar o destino.
Tudo bem que eu só li um livro da autora, mas sou completamente apaixonada pela forma como ela escreve, como ela consegue colocar os sentimentos no papel. E essa história parece incrível! Imagina encontrar um livro que diz tudo o que vai acontecer no dia seguinte? :32 Se for uma coisa que você quer muito, ótimo, mas e se for algo terrível? Como que você pode mudar o futuro, se talvez nem tenha como? É por esse motivo que eu não tenho vontade de ir em cartomantes – não que eu tenha medo do que o futuro me reserva, mas é que eu quero que a vida siga seu curso. Tá, eu tenho medo de encontrar algo ruim mesmo. #batenamadeira

Baía da Esperança – Jojo Moyes

BAIA_DA_ESPERANCA_1271386042P Por eu querer me formar em :26 Hotelaria :26 daqui a uns anos (uma hora ainda consigo convencer a Tatiana a se formar comigo!), todos os livros que mostram alguém que trabalha com hotéis me chamam a atenção, e com esse não poderia ser diferente!
Mike Dormer partiu de Londres e foi para uma pequena cidade litorânea da Austrália para impulsionar a construção de um resort de luxo. Para ele, esse era mais um contrato milionário que lhe permitiria subir outro degrau da escada empresarial. Mas o destino tinha outros planos para ele, porque lá ele conhece a marinheira enigmática Liza McCullen, que se revolta com esse apetite predatório de Mike. Aliás, ela não é a única, porque as tripulações de observação de baleias, que ela lidera, também não gostam nada disso.
A partir do momento que a construção começa a ganhar vida e começa a trazer efeitos na fauna local, os mundos dos dois se chocam. Perigos inesperados irão confrontar os nativos, sejam eles criaturas marinhas ou seres humanos, e Mike se vê obrigado a responder à pergunta que paira sobre Baía da Esperança: até onde se pode chegar, antes de acabar por destruir o que se ama?
Tenho muita vontade de ver baleias no oceano, deve ser uma imagem incrível e um momento memorável. E tudo isso na Austrália, que provavelmente é um país encantador! :27 Só tenho um pouco de receio com Sydney, por causa do vírus mortal que o pessoal do mal em Missão Impossível II queria que se alastrasse lá. Eu sei que é ficção, mas nunca se sabe! :07

Em Nome do Amor – Meg Rosoff

EM_NOME_DO_AMOR_1270929316PQuando a solidão aperta, chega um tempo de recomeçar… Sempre existe um perdão e uma nova razão para sonhar! O que você precisa é amor! Tudo é lindo em nome do amor…” Como NÃO lembrar do clássico Em Nome do Amor, do SBT, depois de ler o título desse livro? Aliás, como não lembrar do dia que a Gabriela Spanic (a Usurpadora!) foi no programa porque duas irmãs gêmeas eram doidas pra conhecê-la? Eu queria tanto que eu e a Fernanda fôssemos naquele dia, pra conhecê-la também! hahahahahahaha #momentofangirl Mas enfim, não é sobre isso que o livro se trata! Daisy não tem nenhuma irmã gêmea e é uma jovem de Nova York que vai passar as férias de verão no interior da Inglaterra, na casa de sua tia. Pra quem está acostumada com uma vida tão agitada numa cidade grande, os ares do campo com certeza serão um choque e tanto! Porém, o que ela encontra no meio rural não é o tédio e muito menos a vontade de voltar logo pra casa, mas o seu primeiro amor.
Nós não somos de uma cidade muito grande, apesar de ser uma capital, mas a nossa alma com certeza pertence aos grandes centros! Nada que um cheiro de gás carbônico não cure! E acho que é por isso que esses livros que se passam no interior são tão interessantes pra nós, porque além de conhecermos uma realidade totalmente diferente da nossa, ainda podemos ver que nem tudo no campo é tedioso! Esse livro ganhou o Guardian Children´s Fiction Prize de 2004 e o Branford Boase Award em 2005!

Dance Comigo – Luanne Rice

DANCE_COMIGO_1247617167P Uma das coisas que eu mais gosto numa história é quando um personagem volta para a sua cidade depois de passar um tempo fora. Pode ser para morar lá novamente ou apenas para uma visita, mas se tem uma coisa que eu aprendi com as minhas mudanças é que, sempre que você volta a um lugar, a sua visão sobre ele é diferente: você pode sentir saudade, pode dar graças a Deus que foi embora, ou então pode até querer começar uma nova vida nesse lugar. No caso de Jane Porter, voltar à cidade que nasceu depois de tantos anos é, na verdade, algo que ela precisa: sua mãe precisa de cuidados e sua irmã não consegue dar conta de tudo sozinha. Além disso, ela precisa resolver uns problemas com o seu passado, o que ela ainda não sabe se será algo fácil ou não. Provavelmente, será difícil, uma vez que Dylan Chadwick também voltou à cidade, disposto a reconstruir sua vida. Ele fez parte de seu passado e, com o reencontro dos dois, muitas feridas serão remexidas e muitos sentimentos voltarão à tona.
Tem alguma alma viva que não gosta de reencontros? Sinceramente, acho isso impossível! É sempre muito empolgante, seja qual for a situação que os personagens deixaram no passado! E também não preciso nem dizer que, assim como toda pessoa dotada de um coração mole, o que eu mais torço nesse tipo de livro é que tudo se resolva da forma menos dolorosa possível – inclusive que a mãe Jane melhore! Não sei se o título do livro tem algo a ver com a história ou se a tradução inventou um nome próprio à história, mas se há dança ou não envolvida nesse livro, eu quero descobrir também!

Um Oceano nos Separa – Robin Pilcher

UM_OCEANO_NOS_SEPARA_1240868598PDavid Lindhagen *piada interna* Corstophine era um homem muito feliz: estava casado com uma mulher muito boa, que lhe dera uma família e a quem ele amava com todas as suas forças. Eles passaram por poucas e boas, inclusive o câncer da esposa, mas depois de tantas batalhas, ela acabara morrendo. Desolado e incompleto, ele pega seus filhos e todos vão para o interior da Escócia, na casa de seus pais, Inchelvie, na tentativa de superarem a dor da perda. Para David, tudo é muito difícil. A sensação de perda e de tristeza o dominam quase que por completo, e além de se afastar de todos que conhece, ele acaba perdendo o sentido de ser quem ele é. Entretanto, ao cuidar das plantas da casa e tentar dar mais vida ao lugar, ele acaba recuperando um pouco sua própria vontade de viver.
Eu adoro livros de superação! É muito difícil passar por isso na vida real e, quando leio esse tipo de história, além de sentir a dor do personagem, é como se ganhasse uma injeção de vontade de viver, de afastar esse tipo de sentimento da minha vida. Claro que não posso controlar o destino, muito menos impedir esse tipo de coisa da minha vida, mas penso que, ao ler esses livros, eu consigo ter um pouquinho mais de experiência e de forças pra ajudar quem estiver passando por isso. Afinal de contas, aprendemos muito com os livros, não é mesmo?




Sobre o autor do post:

Ei, você! Sou Tatiana, mineira de coração e com 23 anos nas costas. Sou uma geminiana que está bem próxima daquela descrita pelo signo - ou seja, não consigo ficar presa a uma coisa só por muito tempo e estou sempre pensando em tudo. Sou fangirl em tempo integral e me envolvo com muita facilidade nas histórias das minhas novelas mexicanas. Estudo RI (ESTÁ ACABANDO! O QUE SERÁ DA MINHA VIDA?), mas quero fazer milhares de coisas na minha vida, desde ser designer de interiores até pesquisadora sobre cultura. Ouço muita música velha, leio muitos livros (quando posso) e amo quase tudo que envolva algodão doce. Também não ligo se você preferir me chamar de Fernanda - acontece muito, veja bem.
E-mail: tatitaleite@gmail.com



Posts Relacionados







:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


6 Comentários em “Coluna das Gêmeas #113 – Para o Interior”


#1 Luis Gustavo Salmazo 17-02-2013 - 19:11 -
Mozilla Firefox 17.0 Windows 7

bacana o post.
Por meus pais morarem em uma chacara, acho que para mim é a melhor coisa ir passar um tempo no interior para descansar, principalmente depois de um semestre pegado na faculdade com milhoes de provas e coisas pra fazer.

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Nossa, ir descansar depois de um semestre apertado é uma das melhores coisas do mundo! Só de pensar que essa semana começa mais um semestre, parece que já baixa o cansaço!
Nunca fui uma pessoa de ir para chácaras, mas acho que seria ideal para um bom descanso, ainda mais se você leva vários livros que estão na lista para ler! :14

Beeijo!

[Responder]

Você já comentou 29 vezes.

#2 Ariane 18-02-2013 - 11:31 -
Internet Explorer 9.0 Windows 7

Lendo a coluna de vocês, eu tenho certeza que li pouquíssimos livros até hoje ahahhaa mais uma coluna em que não li nenhum livro :18

Mas eu quero ler O Livro do Amanhã :15

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Hahahahahahaha Ariane, tenha certeza de uma coisa: toda vez que a gente faz a coluna, temos certeza de que temos muuuuitos livros para ler ainda! :21 Depois de um tempo você acaba se conformando de que nunca conseguirá ler todos os livros que quer… :24
O Livro do Amanhã está na minha estante, quero ler logo, mas agora que as aulas da faculdade estão para começar, não sei quando vou ter tempo…

Beeijo!

[Responder]

Já comentou 267 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#3 Gabbie Reis 20-02-2013 - 01:25 -
Google Chrome 24.0.1312.57 Windows 7

Acho que faltou o meu livro preferido de todos os tempos, “Soul Love – À noite o céu é perfeito”, onde a protagonista Jenna é expulsa do colégio e tem que se mudar para o interior.
Mas fora isso, a coluna das gêmeas é a minha preferida do Bookaholic <3

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Own Gabbie, obrigada! :26 Ficamos muuuito contente em saber que você gosta da nossa coluna!
Não lembramos de Soul Love – e acho que a gente pode culpar a Tatiana, na verdade :14 , porque ela leu ele e nem lembrou de colocar! Estou há tempos com ele na estante, quero ver se leio logo, porque ela gostou bastante, e se ele é seu preferido… Bom, dá um ânimo a mais para ler!

Beeijo!

[Responder]

Você já comentou 5 vezes.