coluna-das-gemeas category image
Coluna das Gêmeas #127 – Nossos Favoritos #3
Sunday 02/06/2013 às 10:08 1043 Views Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Olá bookaholics! Como foi a semana de vocês? Aproveitaram o feriado para estudar, ou para descansar? Bom, nós aproveitamos para estudar e… Comemorar nosso aniversário! 22 anos! Dois patinhos na lagoa! E o dia, por mais que tenha sido repleto de estudos, foi BEM melhor que no ano passado, sem comparação!
Ganhamos dos nossos pais uma calça jeans, livros (!!!) e até All Star (estou apaixonada pelo meu vermelho, me sinto uma mistura de Sofia, em Perdida :26 , e o Doug, do desenho, sabem?). Sem contar os chocolates que a Márcia e a Fernanda, do Clube das Chocólatras, nos deram! Amamos tudo! E também amamos todas as mensagens de parabéns que recebemos no facebook, no celular… Obrigada pelo carinho!
E, como fizemos uma coluna de favoritos antes do nosso aniversário no ano passado (aqui!)… Esse ano também tem! Espero que gostem, que LEIAM ELES (porque sério, são todos muito bons) e aproveitem! Até semana que vem, quando, finalmente, estaremos de FÉRIAS!

O Amor Chegou – Marisa de Los Santos

O_AMOR_CHEGOU_1239812629P Se você nunca ouviu falar desse livro, sério: pare tudo o que está fazendo neste momento e leia um pouco mais sobre. Vocês simplesmente não vão se arrepender. Acho que é o livro mais delicado que já li em toda a minha vida, a autora consegue colocar as palavras de uma forma que te encanta desde o início, e a história em si é muito bem construída. Não me canso de falar pra Tatiana ler. Aliás, foi ela que o escolheu para eu ler, em algum mês no Clube das Chocólatras.
A narração se alterna entre duas personagens: Cornelia Brown, que trabalha como gerente no Café Dora, na Philadelphia, e adora ficar analisando os diferentes tipos de pessoas que entram e saem. Sua rotina muda quando Martin Grace entra no local, e é como se tudo ficasse em câmera lenta, como em um filme: o homem é a cara do Cary Grant. Ela só não sabia que iria mudar tanto… A outra narradora é Clare Hobbes, uma menina de onze anos, que mora do outro lado da cidade, e que está enfrentando um problema muito sério: sua mãe, que sofre de problemas psicológicos, está cada dia pior. A menina até tenta disfarçar os problemas e resolvê-los, mas as coisas saem de controle quando sua mãe a abandona.
Gente, sério: a Clare é um exemplo de pessoa corajosa. Ela parece muito mais velha do que realmente é e enfrenta tudo de cabeça erguida, mesmo sendo tão pequena para isso. Chorei em alguns momentos, torci demais para acontecerem algumas coisas, e fiquei extremamente contente com o final porque, apesar de não ser o que eu desejava, me mostrou que nem tudo pode ser como a gente quer. Ou seja, até a última linha ele consegue te ensinar algo.
E tipo: esse é o primeiro romance da Marisa de los Santos! :08 Por favor, editoras brasileiras, tragam a continuação do livro, Belong To Me, e o outro livro dela, Falling Together!
Ah! E falamos dele na coluna 90, sobre livros que encontramos em promoção!

O Céu Está em Todo Lugar – Jandy Nelson

O_CEU_ESTA_EM_TODO_LUGAR_1310138447P Esse é, sem dúvida, o livro que eu mais chorei em toda minha vida. Desde o começo, eu me envolvi tanto com a história, com o luto da família Walker, que era como se eu estivesse ali presente. E não posso deixar de comentar que essa edição da Novo Conceito é extremamente bem feita, amei que as letras são azuis, amei as imagens dos bilhetes que a Lennie deixa pelo caminho… *Parabéns* Enfim, é de deixar qualquer um encantado, e a história não é menos que todo o trabalho do livro.
Lennie acabou de perder sua irmã mais velha, Bailey. Antes do acontecimento, ela era aquela garota obcecada por livros, que tocava clarinete e vivia de forma segura e feliz à sombra de sua irmã brilhante, e depois, ela passa a ser o centro de sua própria vida. Além de não entender direito o porquê de sua irmã ter morrido de forma tão abrupta e não saber lidar direito com a vida pós Bailey, tem que enfrentar algo que nunca fez parte de sua vida: o amor de um garoto. Calma, não é só um garoto, são dois – um que a consola, e outro que a tira da tristeza. Detalhe amargo: o que a consola não é nada menos que o namorado (agora ex) de sua irmã.
Em todos os momentos que ela estava na dúvida, sentia como se estivesse ao seu lado, uma hora concordando com seu comportamento, outra hora querendo gritar com ela para fazer tudo de outra forma. E da mesma forma que me apeguei a ela, me apeguei à sua avó, ao seu tio, aos garotos… Todos os personagens me conquistaram de alguma forma!
Se você ainda não leu, honestamente, não sei o que está esperando. Prepare seus lencinhos, porque eles lhe serão muito úteis. Por mais que você chore, você termina com aquele sentimento de que está mais forte. Pelo menos comigo e com a Tatiana foi assim!

A Pílula do Amor – Drica Pinotti

A_PILULA_DO_AMOR_1276215905P Sabe aquele livro que te dá um tapa na cara? Pois é, esse livro fez isso com a minha. Eu estava doida pra ler esse livro desde quando soube do seu lançamento e não sosseguei até tê-lo em minhas mãos. Foi só ele chegar em casa e eu começar a ler que… Tive que fechar e respirar fundo. Aquela personagem só podia ser eu, não tinha condição. Isso nunca acontecido comigo e acho que por eu já ter me identificado logo de cara serviu não só pra enxergar os meus erros como também pra tentar consertá-los. Mas deixa eu contar um pouquinho sobre o que é a história, caso vocês ainda não conheçam ou não tenham lido nada sobre ele nas colunas de literatura nacional e de vícios: Amanda é uma mulher que aparenta ser como qualquer outra de sua faixa etária: tem um bom emprego e vive uma vida aparentemente tranquila. Mas o que as pessoas não sabem é como a vida pode ser um martírio quando se é hipocondríaca. E quando eu digo hipocondríaca, não quero só me referir àquelas pessoas que não param de tomar remédio, mas também àquelas que vêm doenças em tudo quanto é ato fora do seu hábito e que também têm muito medo da morte. Muita gente acha que isso é neurose ou frescura, mas é uma doença como qualquer outra e que infelizmente não recebe o cuidado devido. No caso de Amanda, ela precisa até mesmo viver sob uma distância relativamente curta de um hospital para que se sinta segura! Todo o cuidado que ela mantém com sua limpeza e sua saúde acabam se transformando em vigílias constantes, o que além de ser muito desgastante, a faz querer ser conhecedora de tudo quanto é tipo de doença e de remédios – afinal de contas, uma mulher prevenida vale por duas, não é mesmo? Enfim, Amanda aceita a vida que vive, mas ao ser atacada pelo cachorro do novo vizinho, Brian, ela começa a repensar sobre o rumo que as coisas estão tomando.
Quando eu comprei esse livro, imaginei que boa parte dele se trataria sobre a relação entre o Brian e a Amanda, mas me surpreendi: ele se foca muito mais na evolução da Amanda do que em qualquer outra coisa. No início eu fiquei um pouco chateada (porque eu realmente queria ver mais romance!), mas o fato dele abordar essa doença e de mostrar como, aos poucos, a Amanda vai tomando consciência de si e do inferno que vive foi fundamental, no meu caso, pra que eu também tomasse consciência sobre o rumo que eu estava tomando. Posso afirmar com toda a certeza do mundo que nunca cheguei nem perto do estágio da Amanda, mas perceber que eu estava chegando bem perto foi o suficiente pra me fazer mudar de vida. Claro que eu ainda tenho minhas neuras e acredito que nunca conseguirei me livrar completamente delas, mas esse livro me fez enxergar que eu preciso VIVER a minha vida, e não esperar pelas consequências dos meus atos. Eu recomendo a todos! E também estou muito ansiosa pra ler a continuação, Antídoto!

O Noivo da Minha Melhor Amiga – Emily Giffin

O_NOIVO_DA_MINHA_MELHOR_AMIGA_1231165070P Uma das coisas que eu mais gosto num livro é quando ele me deixa pensando durante dias sobre o que eu faria se estivesse no lugar de tal personagem. No caso desse livro, já tem uns dois anos que o li e até agora eu não sei ainda o que eu faria, principalmente porque se trata de um assunto bem polêmico: traição entre amigas. E nesse caso, a traição é ainda mais difícil porque estamos falando de um casamento que está se aproximando. Já falamos dele na coluna sobre casamentos e, ainda que você não conheça a história, aqui vai um resuminho: Rachel é uma daquelas pessoas que tinha milhares de sonhos na cabeça e que, quando viu que as coisas não estavam saindo conforme o planejado, foi se acostumando com a vida que até então tinha. Ela era um boa advogada, mas não gostava do seu trabalho, não tinha filhos e estava longe de ter um bom relacionamento. Porém, quando faz 30 anos, as coisas mudam: ela bebe um pouco mais do que devia e acorda no dia seguinte com ninguém mais, ninguém menos que Dexter, seu amigo de faculdade e, por um acaso, noivo de Darcy, sua melhor amiga desde a infância!
O que eu acho de mais curioso nesse livro não é nem o triângulo amoroso em si, mas o tapa que ele dá na cara do leitor: não posso falar muito, mas boa parte dos protagonistas dessa história levavam vidas por levar, simplesmente! Todo mundo podia pensar que eles tinham as rédeas da situação, mas quando você cai em si, percebe que enquanto adultos (ou menos ainda adolescentes) deixamos muitas coisas passarem por descuido, por preguiça, por comodidade! E isso está errado! Enquanto você é jovem e está cheio de sonhos, sempre se imagina um adulto inteiramente independente, mas nunca paramos pra pensar que essa independência nunca é completa, e que parte da culpa é somente nossa.
Eu adoro esse livro e procuro entender o lado de todos os personagens, mas confesso que ainda fico meio sem respostas quando me pergunto quem estava certo no final das contas! Leiam!

Onde Terminam os Arco-Íris – Cecelia Ahern

ONDE_TERMINAM_OS_ARCOIRIS_1352112213P Eu sempre vi esse livro como um dos favoritos da Fernanda, mas quanto mais os dias passam, mais eu vejo o quanto eu gosto dessa história. Na sua sinopse, o livro é descrito como “Um encantador romance sobre dois amigos de infância com quem o destino parece brincar” e eu tenho que concordar PLENAMENTE com isso, porque além da história ser linda, o que a vida faz com esses dois não é pra qualquer um! Eu passei o livro TODO angustiada, querendo que as coisas se resolvessem e, mais uma vez, levei um tapa de realidade na cara. Esse livro, assim como O Noivo da Minha Melhor Amiga, me deixou explícito como somos capazes de vivermos nossa vida passivamente, quando deveríamos sermos sempre ativos. A Fernanda já comentou sobre esse livro na coluna sobre correspondências, mas, mais uma vez, eu me sinto no dever de introduzir um pouco a história: Rosie e Alex são dois amigos que possuem uma ligação fantástica entre si. Eles são daqueles amigos de anos, que se conheceram ainda na escola, e que se entendem e estão sempre um ao lado do outro, independente da distância física que os separa. Quando eu falo sobre essa distância, estou querendo me referir à mudança que o Alex é obrigado a enfrentar, indo para os estados Unidos e deixando sua amiga na Irlanda. Só quem já se mudou de cidade sabe como as amizades podem ficar abaladas. Às vezes não adianta você jurar, nem de pés juntos, que as coisas serão as mesmas, porque elas já mudam no momento em que você diz que vai para longe. O serviço postal pode funcionar, os e-mails podem existir, telefones podem ter o melhor sinal do mundo, mas o passar do tempo é um dos maiores vilões de qualquer relação. Mas no caso dessa história, não é o tempo o responsável por trazer tantos altos e baixos para a vida dos dois. O maior problema que eu vejo aqui é o mesmo que eu vejo ser o causador de inúmeros conflitos todos os dias: a falta de comunicação. Gente, por inúmeras vezes eu me questionei como essa história teria evoluído se algumas coisas tivessem sido ditas conforme as coisas aconteciam! E deu MUITA raiva em ver o quão humanos esses personagens eram, principalmente porque eu sei que existem inúmeros casais como a Rose e o Alex por aí! Por enquanto, só lemos esse livro da Cecelia, mas já estamos com outros dois na estante, esperando as férias chegarem para serem lidos!




Sobre o autor do post:

Ei, você! Sou Tatiana, mineira de coração e com 23 anos nas costas. Sou uma geminiana que está bem próxima daquela descrita pelo signo - ou seja, não consigo ficar presa a uma coisa só por muito tempo e estou sempre pensando em tudo. Sou fangirl em tempo integral e me envolvo com muita facilidade nas histórias das minhas novelas mexicanas. Estudo RI (ESTÁ ACABANDO! O QUE SERÁ DA MINHA VIDA?), mas quero fazer milhares de coisas na minha vida, desde ser designer de interiores até pesquisadora sobre cultura. Ouço muita música velha, leio muitos livros (quando posso) e amo quase tudo que envolva algodão doce. Também não ligo se você preferir me chamar de Fernanda - acontece muito, veja bem.
E-mail: tatitaleite@gmail.com



Posts Relacionados







:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


9 Comentários em “Coluna das Gêmeas #127 – Nossos Favoritos #3”


#1 Aline Oliveira 02-06-2013 - 12:27 -
Mozilla Firefox 21.0 Windows 7

Oi Meninas! Bom, adorei o blog de vocês e principalmente a indicação do “O Amor chegou”, estou numa fase meio livros sensíveis e já coloquei esse como desejado no Skoob ;D Ah, feliz aniversário pra vcs =D Bjão!

[Responder]

Comentou pela primeira vez, seja bem-vindo!

#2 Flora 02-06-2013 - 12:44 -
Google Chrome 27.0.1453.94 Windows 7

Cara, eu DETESTEI o céu está em todo lugar. Detestei mesmo. Fiquei putíssima pq eu queria ter gostado, mas eu odiei do início ao fim. Quem me indicou foi Pri e Giu (amount of words) e eu estava muito afim de gosta. É, mas não rolou, nem um pouco =/

[Responder]

Você já comentou 2 vezes.

#3 Sumaya Lira Hermann 03-06-2013 - 16:31 -
Internet Explorer 9.0 Windows Vista

Parabéns pelo aniversário…Essa é uma idade muito bacana.
Eu já li o Ceu está em todo lugar e achei lindo demais. Muito poético.
Os outros conheço da Emily Griffin e da Cecelia, mas ainda não os li. Parecem lindos livros. O filme do livro da Emily é muito legal, espero que o livro seja também.

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Obrigada Sumaya! O Céu Está em Todo Lugar é bem poético mesmo! E LINDO. DEMAIS. DA. CONTA!
Eu gostei mais do livro do que do filme da Emily, sabia? Acho que no filme eles não conseguiram retratar muito bem a profundidade das coisas… :28

Beeijo!

[Responder]

Você já comentou 25 vezes.

#4 Ariane 07-06-2013 - 08:17 -
Google Chrome 27.0.1453.110 Windows 7

Parabéns… um pouco atrasadinho heheheh felicidades, muita paz, amor, saúde… enfim tudo de bom!!!

Eu li O Céu está em todo lugar mas não me envolvi tanto… :38

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Obrigada Ariane! E eu estou atrasadíssima em responder ao comentário, então não se desculpe, hein? Eu que peço desculpas!
Como você não se envolveu tanto com O Céu Está em Todo Lugar??? Eu chorava do início ao fim, só de lembrar já fico com os olhos cheios de lágrimas! :10

Beeeijo!

[Responder]

Já comentou 267 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#5 Stephany Morais 07-06-2013 - 10:20 -
Safari 8536.25 iOS 6.1.3

Bem, acompanho o blog a muito tempo, mas nunca comentei, cara de pau a minha né? haha mas hoje estamos aqui!
O Céu Está Em Todo Lugar é lindo, tanto a diagramação, quanto a história em si, o que você falou da letra azul, eu também adorei! :26
Eu só não conhecia mesmo esse da Cecília Ahern, só outros que saíram pela Novo Conceito

[Responder]

Comentou pela primeira vez, seja bem-vindo!

#6 Maysa 10-06-2013 - 11:13 -
Mozilla Firefox 21.0 Windows 7

Oii Tati, não sou muito fã de Romances, acho que o único que eu iria ler é A Pílula do Amor que me lembra muito as capas dos livros da Lauren Conrad ‘-‘
Enfim, saudadeees da Coluna das Gêmeas, eu mau tenho tempo de passar aqui =[

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Vredade, a capa de A Pílula do Amor lembra mesmo as capas dos livros da Lauren Conrad!
Desculpa a demora para responder ao seu comentário! :24

Beeijo!

[Responder]

Já comentou 89 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!