coluna-das-gemeas category image
Coluna das Gêmeas #135 – Praias na capa 02
Sunday 28/07/2013 às 10:00 6452 Views Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Por incrível que pareça, julho já está no fim e dia 1º de agosto volta às aulas. É como se esse mês tivesse passado em velocidade quatro ou oito de DVD, sabem? Mal começou e já acabou! E aí eu entro no Tumblr e o que eu vejo? Todos os americanos comemorando o verão, a praia, o sol… E nós aqui, com esse frio (que é ótimo, mas que chega um momento que cansa), chuva, vento e NEVE. Eu gosto do frio (não que esteja frio aqui em BH, aliás), mas é tão gostoso esse clima de “vamos reunir os amigos e ir para a praia!”, “vamos ao clube tomar sol!” – mesmo que eu não seja uma pessoa de tomar sol ou ir à piscina.
Ontem estava conversando com meus pais sobre a última vez que realmente tomei sol na praia: há 11 anos. E depois, quando fui ao lançamento do livro Azar o Seu! da Carol Sabar, conversei com a Márcia e a Fernanda sobre praias… E me deu uma vontade muito grande de ir, ficar com os pés na água (sem peixes, por favor), ouvindo o bater das ondas… Tem coisa mais relaxante? Acho que não!
Por isso, como estamos nesse clima praia, a coluna de hoje será com livros com essa maravilha da vida na capa. Espero que gostem, aproveitem o restinho de férias (ou, para aqueles que só entraram agora, ou que ainda vão entrar, aproveitem por todos nós que não podemos mais) e até semana que vem!

O Amuleto – Nora Roberts

O_AMULETO_1231264228P Uma coisa que chama muita atenção em uma praia é se ela foi palco de algo histórico, como a chegada de um navio com tesouros, o aparecimento de algum animal exótico ou um objeto que remete a alguma lenda. Esses objetos, verdadeiros tesouros, são um prato cheio para arqueólogos marinhos como Tate Beaumont, que partilha com seu pai essa paixão pela procura de tesouros no mar. Eles já descobriram coisas fabulosas, mas um tesouro lhes falta: o Amuleto de Angelique, que dizem ser amaldiçoado. Como os dois não conseguem capturá-lo sozinhos, eles buscam a ajuda dos mergulhadores Buck e Matthew Lassiter. Este último, aliás, é cheio de mistérios, um homem marcado pelo mar, e muito determinado em descobrir os segredos do oceano. Essa determinação dele acaba rivalizando com a da Tate e, forçados a trabalharem juntos, eles podem descobrir que mais do que a vontade de descobrir um tesouro pode uni-los… Ainda mais se estiverem envolvidos pelo desejo e pelo perigo.
Não sei exatamente o porquê de eu ainda não ter lido esse livro, honestamente. Eu amo praticamente tudo o que a Nora Roberts escreve, e a Tatiana já disse que é um livro legal, mas ainda não senti que chegou o momento de ler, sabem? Tipo quando eu comprei Razão e Sensibilidade: depois de dois anos que senti que estava no clima de ler. Tudo bem que a gente tem esse livro há mais ou menos o mesmo tempo, mas não acho que vou demorar tanto pra ler, porque agora que eu relembrei do que se trata fiquei com mais vontade de tirá-lo da estante e finalmente descobrir quais são os segredos do Matthew e se no final eles conseguirão o amuleto. Ah, e também quero saber se ele de fato é amaldiçoado ou não!

A Última Música – Nicholas Sparks

A_LTIMA_MUSICA_1323432216P Antes de qualquer coisa: se você for ler esse livro, tenha certeza de que lencinhos estarão ao alcance da sua mão. E não serão poucos, eu devo dizer. Ronnie, a protagonista do livro, teve sua vida transformada quando seus pais se divorciaram. Desde então, ela não fala com seu pai e ainda por cima se transformou em uma rebelde. Três anos depois, sua mãe decide que ela e seu irmão Jonah irão passar o verão com ele na Carolina do Norte. É lógico que, como Ronnie está magoada por ter que passar o verão com um homem que ela não fala mais e longe da sua cidade e de seus amigos, ela evita qualquer tentativa de aproximação do pai – que é um ex-pianista e agora está engajado em construir o vitral principal da igreja local – e ainda ameaça voltar a qualquer momento.
O que transforma essa garota, senhoras e senhores? Will :26 , um garoto popular da cidade que cada vez mais consegue sua confiança e seu amor. Aliás, nesse verão Ronnie verá as várias formas que o amor pode partir e curar o coração, e a sua vida ficará marcada pra sempre.
Não sei vocês, mas durante a leitura desse livro fiquei com muita vontade de ficar sentada de frente para o mar, pensando nos rumos da minha vida, nas minhas escolhas e como elas influenciam quem eu sou. O livro te faz pensar no julgamento que você faz das pessoas, até onde vai o que você sabe e o que você não consegue enxergar.
Outra coisa que eu gostei muito no livro é a parte da proteção às tartarugas. Achei tão bonitinho o cuidado com elas, a espera pelo nascimento… Tartarugas são bichinhos de cara simpática, perfeitos para pessoas ansiosas (porque ajudam a desacelerar a pessoa), mas posso ser sincera? Eu tenho medo delas. Sei lá o porquê, mas tenho medo de encostar, medo da carinha delas… ARGH! Medo define. Desculpa, sociedade.

As Patricinhas – Zoey Dean

AS_PATRICINHAS_1279154205P Eu não sabia se deveria ou não colocar esse livro na lista por motivos de: ISSO É UMA PRAIA? Porque se analisarmos bem, não vejo areia. Só umas ondinhas e uns coqueiros – aliás, CADÊ OS TRONCOS DESSAS ÁRVORES?? Por mais bizarra que essa capa possa ser às vezes (mas só às vezes!), eu a amo. Não só o desenho em si, mas a textura dela também é bem diferente, além de ser bem maleável e vir com uma orelha enorme! Mas o grande motivo que me fez colocar esse livro aqui foi o fato dele ser um dos meus favoritos de todos os tempos! Sério, a história não é culta e pode até não ser um best seller, mas deveria SIM ser lida por todos, porque além de ser muito divertida, me fez pensar muito sobre tudo! Essa história – que já virou um seriado, Privileged, mas que não vingou #infelizmente – gira em torno da vida de Megan Smith, uma recém-formada que vem quebrando a cabeça sobre como fará pra pagar os empréstimos que pegou para pagar a faculdade de jornalismo em Yale (alguém além de nós se lembrou da Rory?). As coisas na sua vida não andam muito bem e, quando o desespero está quase arrombando sua porta, ela recebe uma proposta da avó multimilionária das gêmeas Sage e Rose Baker para que ela se transformasse na tutora das duas durante a preparação para as provas pra faculdade. Elas não são lá muito fãs de estudos, mas são quase PhD em festas, flashes e rapazes em Palm Beach, assustando-a inicialmente, principalmente porque esse trabalho não parece ser tão viável assim. Mas a questão é que a oferta feita pela avó envolve sua dívida ficar completamente quitada, ou seja: NÃO DÁ PRA RECUSAR.
Essa história me deixou com muita raiva de todos os personagens em algum momento, mas ainda assim, eu a adorei TANTO que não hesito em indicá-la! Eu já tinha visto a série (que é um pouco diferente do livro!), então só conseguia imaginar a Joanna Garcia, que eu adoro – não só porque ela estava ótima em Better With You e porque o cabelo dela é um sonho, mas também porque agora ela é Joanna Garcia Swisher, já que casou com o Nick Swisher, um jogador de baseball que adoramos (ele jogava pelo NY Yankees e agora está no Cleveland Indians, é muito divertido e já fez até uma aparição em Better With You!!)!
De qualquer forma, o livro tem o clima praiano perfeito pra se encaixar nessa coluna! Recomendamos e MUITO esse livro!

A Lagoa Azul – Henry De Vere Stacpoole

A_LAGOA_AZUL_1240097229P Convenhamos que essa capa é pouco nítida e que, na verdade, trata-se mais de um ilha do que da praia em si, mas em ilhas temos praias, não é mesmo? Aliás, quer fronteira com o mundo mais bonita do que essa?
E por falar em bonita, ao que tudo indica, essa é uma ilha bem bonita. Eu estou lendo esse livro desde fevereiro (!!!) e só agora que cheguei na parte que eles estão na ilha. Mas antes de continuar, tenho que dizer que o fato de eu estar lendo desde fevereiro não quer dizer que o livro é chato! Enquanto eu estou num semestre letivo, não consigo ler nada além do material das minhas aulas, então acabei passando meses sem o ler, o que acabou por diminuir um pouco a minha vontade de continuar com a história. Até tentei ler um pouco nessas férias, mas então fui infectada pelo vírus Os Instrumentos Mortais e, desde então, não consigo me desconectar da história. Mas enfim..
A sua sinopse no Skoob diz que esse livro “narra a vida de um casal de pelados numa isolada ilha dos Mares do Sul“, o que eu achei muito engraçado, principalmente porque até agora onde estou na história, eles estão usando roupas… Mas eles ainda vão crescer, né? Sem contar que o livro é dividido em três partes, então imagino que isso faça sentido com a passagem do tempo. Mas ainda assim, dizer que é uma história de pelados é um tanto quanto perturbador.
Mas enfim, conhecemos a história de Dick e Emelina, dois primos que estão viajando num navio que acaba por afundar. Eles passam dias num barco até encontrarem uma ilha onde possam ficar e, quem sabe, esperar por ajuda. Pra um livro que fora publicado pela primeira vez em 1912, a narrativa é bem tranquila – o Mário Quintana foi o responsável pela tradução e fez um excelente trabalho! – e o livro te instiga a saber o que vai acontecer. Eu, por exemplo, nunca vi o adaptação desse livro (SIM! PERDI TODAS AS SESSÕES DA TARDE DA MINHA VIDA!), então ficaria muito agradecida se ninguém soltar spoilers! Tudo bem que eu sei que vai haver um romance (e eu ainda não consigo ver isso no livro!), mas o resto eu não sei como fica!

Tigres em Dia Vermelho – Liza Klaussmann

TIGRES_EM_DIA_VERMELHO_1369184481P Esse livro, estreia da autora, é um best seller mundial, foi eleito o Livro do Mês em julho de 2012 pela Amazon e foi lançado tem pouco tempo no Brasil pela editora Intrínseca. Confesso que, apesar da capa ser muito bonita, retrô e dessa praia não me parecer daquelas muito quentes (eu detesto o calor insuportável, seja na praia ou fora dela!), eu nunca tinha parado pra ler a sinopse desse livro. Mas então o fiz pra escrever a coluna e… Uau, o livro parece bom mesmo! Pelo título, eu não conseguia pensar em um gênero específico pra ele, mas acabei descobrindo que se trata de um suspense familiar! Eu não sabia nem que isso existia! :08
A história por ele contada se passa logo após a Segunda Guerra Mundial, quando aquele clima de pesar toma conta do mundo e os países começam a se separar entre comunistas e capitalistas. As vidas de Helena e Nick, entretanto, não tinham tantos dramas assim, mas agora com a mudança de Nick para a Flórida e de Helena para Hollywood, é a primeira vez que as duas se vêem separadas. Imagino que seja muito difícil você viver sempre com uma pessoa ao seu lado – elas sempre passavam os verões em Tiger House, na ilha de Martha’s Vineyard – e então ter que seguir um caminho diferente, ainda mais para lados opostos do mesmo país. Conforme os anos vão passando, elas vão percebendo que nem tudo acontece conforme eram seus sonhos, e que, pra piorar, os encontros que se sucedem em Tiger House se transformam em ocasiões extremamente diferentes daquelas em que elas costumavam viver no passado: esses encontros serão mais intensos e revelarão muitas coisas das quais as duas não podiam nem imaginar. #suspense Gente, que tenso, hein?




Sobre o autor do post:

Ei, você! Sou Tatiana, mineira de coração e com 23 anos nas costas. Sou uma geminiana que está bem próxima daquela descrita pelo signo - ou seja, não consigo ficar presa a uma coisa só por muito tempo e estou sempre pensando em tudo. Sou fangirl em tempo integral e me envolvo com muita facilidade nas histórias das minhas novelas mexicanas. Estudo RI (ESTÁ ACABANDO! O QUE SERÁ DA MINHA VIDA?), mas quero fazer milhares de coisas na minha vida, desde ser designer de interiores até pesquisadora sobre cultura. Ouço muita música velha, leio muitos livros (quando posso) e amo quase tudo que envolva algodão doce. Também não ligo se você preferir me chamar de Fernanda - acontece muito, veja bem.
E-mail: tatitaleite@gmail.com



Posts Relacionados







:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


5 Comentários em “Coluna das Gêmeas #135 – Praias na capa 02”


#1 Luis Gustavo Salmazo 28-07-2013 - 21:26 -
Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Nossa pra mim não a nada melhor que um dia de sol em uma piscina ou em praia, curto muito e é tao ruim esse frio e ficar preso de baixo da coberta, principalmente nas ferias, porém só bom para colocar a leitura em dia.
Gostei do post, porem é sacanagem falar de verão enquanto está frio, volta logo calor!!!!
bjo

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.95 Windows 7

Hahahahahahaha Verdade, é meio que sacanagem falar de verão, mas é que essa é daquelas estações que sempre nos atraem, não importa o clima que estamos enfrentando! Não sei, é como se no verão tudo pudesse acontecer, não acha? Sinto como se ele fosse um clima de envolve magia, que faz a gente sonhar mais… Pode ser só delírio da minha parte, mas é como eu me sinto!
O frio é bom, apesar de ser terrível na hora de enfrentar o chuveiro, ou de acordar cedo pra ir estudar. Mas a parte de ficar debaixo das cobertas, de adiantar a leitura, de comer doce (porque vamos combinar, essa é uma época excelente pra isso!) é tão atraente!

Beeijo!

[Responder]

Luis Gustavo Salmazo responde:

Google Chrome 28.0.1500.95 Windows 7

concordo, no verão parece que envolve magia principalmente na parte da noite que da pra fica vendo as estrelas ateh tarde, muito bom
bjo :15

[Responder]

Você já comentou 29 vezes.

#2 Ariane 01-08-2013 - 08:09 -
Google Chrome 28.0.1500.72 Windows 7

Oiii!!

Amoooooo A Última Música :26
Nossa… nem sabia da existência do livro A Lagoa Azul ahhahaa
Como assim você nunca assistiu?!? :22

Eu gosto de praia (da paisagem eheheh não sou muito fã da areia eheheh)

[Responder]

Fernanda responde:

Google Chrome 28.0.1500.95 Windows 7

NEM ME FALE EM A LAGOA AZUL! Mas sabia que não é só a Tatiana e eu que nunca vimos? Conhecemos mais pessoas que também tem esse probleminha! E tipo, por mais que todo mundo fale “passa toda hora na sessão da tarde!”, faz um tempão que não passa – porque se passasse, acho que iria ver mesmo sem ter lido o livro!
A Última Música é tão lindo, né? Quando ouço When I Look At You, eu choro, não consigo evitar!
Areia também me dá nos nervos, ainda mais se estou andando nela com chinelo, porque ele entra debaixo das tiras e rala todo o pé! Mas da última vez que fui na praia, fazia tanto tempo que não pisava nela que sério, não me incomodei com nada, dava vontade de passar o tempo todo andando nela e no mar – aliás, que coisa mais relaxante! A impressão que eu tinha era que quanto mais eu andava, mais os meus problemas pareciam pequenos!
Já a Tatiana é contra areia mesmo. Nessa vez que fomos à praia, ela andou de TÊNIS para não entrar em contato com a areia – tudo bem que ela estava com um corte no pé e tava com medo de bactérias invadirem, mas ainda assim!! De tênis????

Beeijo Ariane!

[Responder]

Já comentou 267 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!