coluna-das-gemeas category image
Coluna das Gêmeas #145 – Dia das Crianças
Sunday 13/10/2013 às 10:00 1023 Views Arquivado em: Coluna das Gêmeas

Feliz Dia das Crianças (atrasado) pra todas as crianças interiores de vocês! :02 Podemos envelhecer o quanto for, mas o Dia das Crianças deveria ser comemorado por todos nós sempre! Acho que uma das coisas que nunca podemos nos esquecer da nossa infância é a capacidade de sonhar com o nosso futuro, de fazer planos e de esperar que todas essas coisas aconteçam – mas claro, sem nos esquecermos de que temos que fazer nossa parte para que estes sonhos se realizem!
Quando eu era criança, eu vivia pensando em como eu queria que minha vida de adolescente fosse bacana, cheia de muitos amigos e de muitas alegrias. Minha adolescência acabou saindo totalmente diferente daquilo que eu sonhava, mas foi muito boa do mesmo jeito! E ainda que as pessoas me confundam de vez em quando com uma adolescente, eu gosto de pensar que mantenho a mesma alegria que eu tinha e que ainda a terei comigo por muitos e muitos anos – afinal de contas, tanto os adolescentes quanto os pré-adolescentes ainda têm muita infância dentro deles!
Então se você já passou dos 20 anos e está cada vez mais longe da sua infância, não desanime: existe sempre uma forma de voltarmos a nos surpreender com as novidades da vida e de nos enchermos de esperança de que tudo será diferente! Com vocês, os livros infantis que valem a pena lermos sempre!

As leis de Allie Finkle para Meninas: Dia da Mudança – Meg Cabot

DIA_DA_MUDANCA_1264029329P Allie Finkle é uma menina normal de 9 anos que recebe uma bomba: seus pais contam que a família está de mudança. Isso, pra ela, é quase como se sua vida tivesse acabado, porque além de não estar nem um pouco contente com a notícia, ainda vai ter que trocar seu quarto cor-de-rosa por uma casa antiga e assustadora. Ou seja: ela precisa fazer alguma coisa que impeça a mudança. Se o plano vai ou não funcionar já é outra história, mas o mais importante é tentar e, para isso, ela tem seu livro de leis para ajudá-la a se comportar!
Todas as resenhas que eu leio sempre dizem: é como se você voltasse para a sua infância quando lê! Esse é o primeiro livro da Meg Cabot para o público infantil, mas isso não impede ninguém de ler e amar a sagacidade da Allie e suas ideias malucas!
Se já foi difícil para eu mudar aos onze anos, imagino que aos nove deve ser um pouco mais complicado no início porque é muita informação nova ao mesmo tempo e você pode perder amizades que, para o momento, são extremamente importantes, como se o seu amigo fosse seu irmão mesmo. Não sei se com a Allie vai ser assim, só lendo para descobrir!

Rangers: Ordem dos Arqueiros: Ruínas de Gorlan – John Flanagan

RANGERS_ORDEM_DOS_ARQUEIROS__LIVRO_1_1380314165P Às vezes criamos uma imagem idealizada de alguém que não conhecemos, não é? Juntamos as informações que nos fornecem de vez em quando e montamos um grande personagem que parece ser a melhor coisa que a Terra poderia carregar. Acho que sou mais ou menos assim de vez em quando, principalmente quando se trata do meu avô materno, que nunca tive a oportunidade de conhecer. E no caso de Will, seu sonho era poder na Escola de Guerra e ser como o pai que idolatrava, mas que também nunca tivera a oportunidade de conhecer. Entretanto, ele não deixa de ser treinado: para sua surpresa, ele é escolhido como um aprendiz de Halt, um arqueiro que tem fama de ser muito poderoso, até mesmo mágico. E como a vida dá muitas voltas, ele finalmente tem a sua chance de ser tão grandioso quanto aquela imagem do pai: ele acaba embarcando em uma grande aventura com Halt para impedir que o rei seja assassinado!
Eu sempre olhava pra esse livro e pensava nele como uma oportunidade pra fazer o meu irmão ler alguma coisa, mas pelo visto eu vou ter que ler antes mesmo dele! A história parece ser bem legal, diferente (arcos e flechas, minha gente!) e divertida, uma vez que Will acaba arrumando um pônei nada fácil de lidar pra ser seu companheiro de aventuras!
A série da Ordem dos Arqueiros já conta com dez livros lançados no Brasil, mas por mais que sejam muitos livros, quero dar uma chance pra eles! Aliás, a Fernanda, do Viagem Literária, já fez resenha da maior parte da série e ela recomenda!

Pollyanna – Eleanor H. Porter

POLLYANNA_1248547625P Pollyanna é uma órfã de 11 anos que vai morar com sua tia Polly Harrington na pequena cidade de Beldingsville, na Nova Inglaterra, Estados Unidos. A partir do momento que a menina chega à cidade, no início do século XX, as coisas logo começam a mudar, porque aos poucos não só sua tia, mas todos os moradores começam a se transformarem em pessoas melhores usando o “Jogo do Contente” que a menina espalha por aí. Ela é uma otimista incurável e não aceita desculpas para a infelicidade, e para isso empenha-se de corpo e alma para ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.
Esse foi um dos livros que mais gostei quando era adolescente, peguei na biblioteca da escola porque minha mãe já havia comentado que tinha gostado da continuação, e fiquei curiosa para saber do que se tratava. A Pollyanna é um exemplo de pessoa, sério mesmo. Depois que você lê o livro, fica brincando de Jogo do Contente, e a vida fica mais leve, do jeito que é para as crianças, sabem? Acredito que todos deveriam ler, a menina tem muito a ensinar! Ah! E tem uma adaptação do livro no Youtube! É dublado, mas parece bem bacana!

Linhas – Sophia Bennett

LINHAS_1290620677P Todo mundo sabe que, em termos de amizade, às vezes nos deparamos com pessoas completamente diferentes de nós e que acabam nos completando, não é mesmo? Minhas amigas, por exemplo, nunca foram iguais umas das outras, e hoje posso dizer que estou cada vez mais eclética! Acho que isso é muito importante pra nos fazer crescer, respeitar as diferenças, termos mais paciência e, principalmente, para aprendermos mais sobre nós mesmos. No caso de Nonie, Edie e Janie, três amigas inseparáveis, o aparecimento de Crow, uma refugiada de Uganda, a amizade começa a mudar a cara.
Acho que esse livro pode ter muitas lições para seus leitores, não só sobre a amizade em si, mas sobre a força de vontade que temos que ter, a fé nos nossos amigos e a no nosso trabalho para que os nossos sonhos se realizarem. Claro que contar com a sorte também ajuda, mas não vejo isso como fator exclusivo para conseguirmos algo. E também penso que, no caso de Crow, que vivia em condições péssimas por causa da guerra, a esperança de um futuro melhor deve ter sido essencial pra que ela tivesse coragem e forças pra seguir em frente atrás daquilo que ela acreditava.

A Pirâmide Vermelha – Rick Riordan

A_PIRAMIDE_VERMELHA__1288288628P Os irmãos Carter (14 anos) e Sadie (12 anos), desde que perderam sua mãe, viveram separados e sempre com estranhos. Enquando ela viveu com os avós maternos em Londres, seu irmão viajava pelo mundo com o pai egiptólogo Dr. Julius Kane. Durante uma das visitas de Julius à Sadie, ele leva os filhos para o Museu Britânico, acaba libertando alguns deuses egípcios, sendo um deles o Set, o deus do caos, que o aprisiona, destrói parte do museu e ainda tem planos malignos de destruir o mundo. Os irmãos precisam agora tentar não só salvar seu pai, mas impedir que Set destrua a humanidade e descobrir quais são os vínculos da família com uma ordem secreta que existiu desde os tempos dos faraós!
Eu sei que eles não são crianças, mas as histórias do Rick Riordan são tão bem escritas que qualquer criança pode ler e amar! Ainda mais porque o livro é cheio de aventuras e ensina muito coisa sobre a mitologia egípcia! Eu estou louca para ler essa série, apesar de morrer de medo de tudo que envolva faraós, tumbas e semelhantes. Sim, sou dessas que tem medo de maldição de faraó, de múmias… Eu sei, eles já morreram e tudo mais, mas quem garante que eles não voltem? Já assistiram A Múmia? Pois é. E se elas voltam? E se a gente ficar nas mãos de algum faraó doido? Eu não quero estar viva se isso um dia acontecer.




Sobre o autor do post:

Helloooo! Meu nome é Fernanda, tenho 23 anos, daqui a um ano posso me chamar de administradora, mas depois quero fazer Jornalismo! Moro em Belo Horizonte há três anos, tenho uma irmã gêmea - com quem divido os livros, a estante, o quarto, o amor por novelas mexicanas e por baseball. Além disso, amo ler romances e sou uma viciada no Tumblr! Sou uma das responsáveis pela seção "Coluna das Gêmeas" (que agora é "Book: A Talk", que vai ao ar quase todos os domingos!
E-mail: fernanda3005@gmail.com



Posts Relacionados






:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


Nenhum comentário em “Coluna das Gêmeas #145 – Dia das Crianças”