entrelinhas category image
Entrelinhas #9 – Breve comentário sobre tamanho
Wednesday 04/05/2011 às 20:43 974 Views Arquivado em: Entrelinhas

Um assunto muito discutido em meios literários é a extensão de uma obra. Existem aqueles que defendem os livros longos, usando como argumento que assim a história torna-se mais detalhada; de outro lado, há os que preferem livros curtos, pois afirmam que a síntese é mais importante que detalhes. Então, como definir a linha que separa a obra demasiada longa e enfadonha, da extensiva, mas com detalhes relevantes? Como compreender o limite entre síntese e falta de assunto?

Os filósofos alemães eram mestres em se prolongar, e certamente aprovariam o tamanho de livros como A Torre Negra de Stephen King – apesar de sabê-lo que pela própria natureza de sua filosofia estes mesmos filósofos crucificariam-no pelo teor da obra -, pois não existe padrão de mente mais didático que o alemão que, diga-se de passagem, chega ao absurdo de escrever três volumes palavrosos intitulados “Pequena introdução aos hábitos dos elefantes”.

Certa vez um pretenso escritor nacional disse-me que planejava escrever sua obra em sete volumes. Aquilo realmente me espantou, pois como o sujeito poderia prever o tamanho da história, sendo que nem ao menos terminara o primeiro, ao ponto de dividi-la em sete? Isso geraria um esforço tremendo para manter a história e, logo, uma conversa fiada desmedida surgiria – tal como ocorreu.

O fato é que muitos dos livros em séries que vemos hoje são encomendados. Os leitores que me perdoem, mas é assim. Um determinado autor escreve um livro “x”; esse livro “x” é bem quisto pelos editores fuinhas que, melindrosos, sabem do potencial da obra. Convencem então o autor a prolongar a história por mais sete volumes – quem sabe oito! -, para melhor lucro. É uma equação simples, e bastante usada. Desta forma, um livro que sumiria da prateleira dos best-sellers em um ano, permanece por sete ou oito!

Vendo este padrão se fortificar, muitos dos escritores novos tendem a arquitetar seus escritos do mesmo jeito. Não creio, contudo, que seja lá uma decisão sábia. É bem pouco provável que um livro possa ser planejado, pois a história cresce por conta própria e é contada na medida do que se precisa contar; ao menos deveria ser assim. Stephen King disse, em sua introdução medonha do volume I de A Torre Negra, que criou esta série, digna de bocejos alarmantes, na intenção de fazer dela o mais longo romance popular moderno. Neste aspecto, certamente conseguiu atingir seu objetivo, sua obra está para a literatura real o que Descartes está para o pensamento oriental, ou seja, o oposto.

Assim, não existe um tamanho fixo que seja ideal. Contudo, o escritor deve ser ligeiro na medida do possível e longo na medida do necessário. Fazer-se compreensível não é prolongar o assunto por 30 páginas a mais do que o que de fato precisaria, tampouco sintetizar ao ponto de se tornar uma equação matemática. O que precisa-se de fato é atenção, fazer-se claro e objetivo, e lembrando que quem lê não pode se aborrecer, pois aborrecido, não pode entender.

Senhores, façam suas rasuras em seus cérebros e menos em seus escritos.




Sobre o autor do post:

Sou Dhyan Shanasa, autor de O Livro de Tunes (A Trilogia de Tunes), que teve sua segunda edição lançada em 2010 pela Editora Lexia. Tenho cá meus 26 anos de labuta, sendo 15 destes empregados já à escrita. Sou natural de Goiânia, mas confesso que não me recordo de ter morado lá. Atualmente moro em Pirenópolis, uma simpática cidadezinha no interior de Goiás e onde trabalho no terceiro e último volume do Livro de Tunes. Dentre outras coisas que não citarei, a poesia é a que mais me apetece, deixando-me mais brando com esse mundo vão. Twitter: @DhyanShanasa
E-mail: dhyan.shanasa@gmail.com



Posts Relacionados







:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


10 Comentários em “Entrelinhas #9 – Breve comentário sobre tamanho”


#1 Evellyn 04-05-2011 - 21:16 -
Google Chrome 11.0.696.60 Windows Vista

Haha exelente!!

Otima coluna Dhyan!
eu gosto de ler mas esse Livro vc citou, além de nunca ter despertado minha curiosidade pela historia tb me assusta pelo tamanho imenso… E eu nem sabia que o autor escreveu com esse propósito de Guiness…
Eu hein~

bjss

[Responder]

Dhyan Shanasa responde:

Safari 533.21.1 Mac OS X 10.6.7

Obrigado, Evellyn, e eu ri bastante com o lance do “guiness” hahahuishiuaus

bjos

[Responder]

Já comentou 69 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#2 Dija Darkdija 05-05-2011 - 04:24 -
Mozilla Firefox 4.0.1 Windows 7

Pois é… Eu estou escrevendo um. Seria apenas um, as ideias cresceram e continuo escrevendo, um segundo e talvez caiba um terceiro, mas não dá pra fixar. E por isso mesmo eu não fui atrás de publicação. A editoria iria me pressionar para terminar rápido esse segundo livro, caso eles gostassem do primeiro.

[Responder]

Comentou pela primeira vez, seja bem-vindo!

#3 Tarsila 05-05-2011 - 14:23 -
Internet Explorer 8.0 Windows 7

Ah, eu acho que um livro deve ter o tamanho que a história deve ter. Ponto.
Clarice Lispector faz maravilhas com 160 páginas.
Outros livros sentimos que são finos demais… Ou longos demais…
Ótimo post! :28

[Responder]

Você já comentou 11 vezes.

#4 Duh Araujo 05-05-2011 - 15:07 -
Google Chrome 11.0.696.60 Windows Vista

Isso é meio complicado. Pois tem livro que é tão bom que serie desperdício não ter continuação, mas tem também aqueles que são muito bons mesmo sendo mais curtos!

Beijos

Boys e Livros
http://boyselivros.blogspot.com

[Responder]

Você já comentou 2 vezes.

#5 Kamila Michel Raupp 05-05-2011 - 23:59 -
Google Chrome 11.0.696.60 Windows 7

Nunca tinha parado para pensar nesse assunto desse ponto de vista e realmente me surpreendi em me ver concordando em grande parte com o que disse, pois adoro livros grandes e acho que sagas são fantásticas, mas na verdade não passa de um bom e belo marketing!

Beijos, Kamila

http://vicio-de-leitura.blogspot.com/

[Responder]

Você já comentou 34 vezes.

#6 RUDYNALVA SOARES 06-05-2011 - 00:13 -
Mozilla Firefox 3.6.17 Windows XP

E como tem tido séries escritas ultimamente… Vixe!!
Quando são daquelas séries que dá para se ler cada livro independente, que não depende de um anterior ou posterior, vá lá; mas e quando a série é feito novela que tem de ficar acompanhando para entender?
cheirinhos
Rudy

[Responder]

Já comentou 323 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#7 Lis 07-05-2011 - 18:58 -
Google Chrome 11.0.696.60 Windows 7

Fica uma coisa tão forçada um livro escrito só para ter volume né, o que ficara ótimo em poucas páginas, acaba se tornando insuportável a leitura por ficar cansativa.
Ótimo texto Dhyan :02

bjo

[Responder]

Já comentou 228 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#8 Amanda 13-05-2011 - 00:19 -
Google Chrome 12.0.742.30 Windows 7

Esse post realmente abriu meu olhos! Nunca havia parado pra perceber a necessidade de um livro ser ou não continuativo com outro volumes. Mas eu concordo com o que você disse: ” Um determinado autor escreve um livro “x”; esse livro “x” é bem quisto pelos editores fuinhas que, melindrosos, sabem do potencial da obra. Convencem então o autor a prolongar a história por mais sete volumes – quem sabe oito! -, para melhor lucro.” É exatamente desse jeito, tornando-se um enfado para quem lê podendo tudo aquilo ser colocado em um ou dois livros. Isso varia de caso para caso, então eu sou a favor de livros com continuidade quando a leitura é infanto-juvenil como por exemplo: Harry Potter sou louca por ele, Crepúsculo amo demais e Percy Jacson (só li um livro da saga e gostei). Então aí fica a minha opinião! :04

[Responder]

Você já comentou 27 vezes.

#9 Yara Prado 10-06-2011 - 09:03 -
Google Chrome 12.0.742.91 Windows 7

Ah, na minha opinião, cada livro é um livro, então cada livro tem que ter o tamanho que a história exigir…
Não adianta ter um livro de 700 paginas se a história não é de 700 paginas e sim de 300.
Assim como não adianta ter um livro de 150 paginas se a historia exigir 400…

[Responder]

Já comentou 802 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!