entrevistas category image
Bate Papo Com Felipe Pena
Thursday 02/06/2011 às 08:00 1820 Views Arquivado em: Entrevistas

Olá leitores do Bookaholic! Como estão todos? Quero muito agradecer aos comentários que a coluna está recebendo, acompanho todos, afinal o retorno de vocês é essencial para a melhoria do nosso Bate Papo.

Essa semana vocês perceberam que foi de festa né? Clima de festa devido o aniversário da Tati e da Fernanda, então espero continuar o clima de alegria trazendo a entrevista com o autor Felipe Pena. Um dos livros do Felipe, O Marido Perfeito Mora ao Lado, já foi resenhado aqui, confiram a resenha quem ainda não leu e confiram a entrevista que ele nos concedeu. Eu adorei, e vocês?

01) Você é jornalista, psicólogo e escritor. O que essa diversificação de áreas lhe trouxe de positivo? Em que, uma área ajuda na outra?

As áreas são complementares. Talvez, a psicologia me influencie um pouco mais. Entretanto, não uso nenhuma das histórias que ouvi em consultório. Apenas aprendi a ter um ouvido treinado para os argumentos femininos, o que me ajudou muito na hora de escrever utilizando a voz de uma mulher. Além disso, a profissão também me ajuda no aprofundamento dos personagens, na concepção de seus dramas e na elaboração dos conflitos.

02) Livros, você costuma ler sobre quais temas? Quais livros você gostaria de ler, mas por alguma motivo ainda não fez?

Leio muitos romances brasileiros e também leio sobre psicanálise. As obras de Freud e Lacan certamente preencheram a maior parte do tempo que dediquei à leitura. Mas gostaria de ter lido a obra de Proust no original, o que ainda não fiz por falta de tempo e fôlego. Mas farei.

03) Cada região do mundo, tem uma cultura. Cada estado do Brasil, tem uma cultura. São culturas diferentes, linguagens…gírias diferentes, valores diferentes.  A escrita portanto, seja jornalística, seja literária, tem a missão de chegar à todos, de despertar a atenção das pessoas…independente da região ou da cultura. Focando nessa idéia, quais são as dificuldades que o escritor enfrenta para que sua história (ou notícia) se torne interessante para pessoas?

Escrever fácil é muito difícil.  Tudo que é fácil de ler é difícil de escrever, e vice-versa. A escrita simples é tradução laboriosa da complexidade. Eu sou um acadêmico. É minha formação, sou professor da UFF. Fiz mestrado e doutorado em literatura e hoje oriento teses. Mas certos hermetismos universitários sempre me incomodaram.  A linguagem da academia, às vezes, é produzida como estratégia de poder. Quanto menos compreendidos, mais alguns professores se eternizam em suas cátedras de mogno, sem o controle da sociedade. E isso se reflete na literatura. Claro que há boas exceções e é necessário valorizá-las.
O fato é que eu sempre tive o desejo de ser romancista, mas não queria reproduzir o que vem sendo feito pelos escritores da minha geração (com até 39 anos), que optaram por seguir  determinados ditames da crítica que são referendados por uma certa mídia especializada em literatura (novamente, há as boas exceções). Por exemplo, ainda que aprecie a metalinguagem e os jogos experimentais, não tenho vontade de enveredar por esse caminho. Tampouco tenho interesse nos enquadramentos de gênero. Meu único objetivo é contar uma história.

04) A internet está presente na vida de muitas pessoas hoje, e graças à ela vejo muitos autores, editores, profissionais da área literária estreitando laços com seus leitores, com o público que tem acesso à tecnologia.  Qual sua opinião sobre isso? Quais são os prós e contras, na sua opinião, da tecnologia estar estreitando laços com a literatura?

Vejo com otimismo os laços entre literatura e tecnologia. Sem eles, talvez não estivéssemos conversando agora. E uma das melhores consequências é a resposta do leitor. Adoro quando recebo e-mail de alguém que leu meus livros. A propósito, o e-mail é felipepena@globo.com E eu tenho twitter e facebook.

05) Ainda falando em tecnologia … e-books. Você gosta? Acredita que eles vão provocar o desaparecimento do livro impresso?

Não. As tecnologias vão conviver. Assim como o rádio não matou o jornal e a TV não matou o rádio.  Acho ótima essa diversidade. Ao contrário do que apregoaram certos apocalípticos, a popularização da tecnologia valorizou a escrita e, portanto, aumentou o interesse pelo texto, pela palavra.

06) Sobre o livro O Marido Perfeito Mora ao Lado, um casal está em crise, a mulher busca ajuda, e cinco alunos de psicologia tentar encontrar uma idéia comum sobre o problema do casal.  O fato de muitas pessoas buscarem ajuda para seus relacionamentos, poderia  ser um modo de, a própria pessoa negar a dar o primeiro passo para a harmonia do casal, buscando assim alternativas mais “fáceis”?

O livro é uma história de amor, recheada com suspense. Cada capítulo fala de um conceito da psicanálise de forma romanceada. A história fala do desejo. A metáfora é a seguinte: por que a grama do vizinho é sempre mais verde? Somos eternamente insatisfeitos. O desejo investe no vazio, naquilo que não temos. Mas isso também pode ser bom. O dia em que eu disser que realizei todos os meus desejos, estou morto. A insatisfação nos angustia, mas também nos faz seguir adiante. Ela é mobilizadora. Freud e Lacan trataram muito bem do tema.

07) Ainda sobre o livro O Marido Perfeito Mora ao Lado, porque a decisão de colocar um sequestro no meio de uma história de romance? Uma estratégia para prender o leitor ou outro motivo?

Eu acho que cada leitor deve ter o direito de fazer sua própria leitura, então proponho várias aventuras. Você escolhe a sua. Se quiser amor, terá. Se quiser suspense, também. E assim por diante. Há várias chaves de leitura (embora não goste desse conceito). Um delas é sobre o desejo, outra pela questão de gênero, mas cada leitor vai encontrar uma explicação diferente e eu valorizo isso. Como disse o Lobo Antunes na FLIP de 2009, o nome do leitor é que deveria vir na capa, não o do escritor.

08) Para a criação de uma história? Quais detalhes você dá maior atenção e por que?

Passei quase cinco anos anos escrevendo cada livro com os olhos voltados para a carpintaria da narrativa. É isso que me interessa: a história, a narrativa, a tecelagem da palavra. E presto muita atenção às palavras dos leitores. Isso tudo me anima a continuar.

09) Planos em andamento de mais um livro? Se sim, poderia nos adiantar um pouquinho sobre ele?

Sim. Em agosto, lanço “O Verso do cartão de Embarque”, cujo personagem principal é o mesmo de “O Marido perfeito mora ao lado.” Além disso, estou escrevendo dois roteiros: um para cinema e outro para TV. Sou um otimista: acredito na palavra. Há leitores neste país, mas é preciso respeitá-los. É preciso produzir narrativas que não sejam meros exercícios de egocentrismo e/ou missivas elípticas endereçadas aos pares. Escrevemos para sermos lidos, o que deveria ser óbvio, mas parece um pecado mortal no sacro universo de alguns escritores da minha geração (até 39 anos), cujo desejo maior é o de ser estudado e não o de ser lido. Ou seja, não estão interessados em leitores, estão interessados em bolsistas de mestrado.

10) Para finalizar, pedimos que deixe uma mensagem aos leitores do blog.

C.S. Lewis dizia que a grande leitura não exige perícia ou força; exige, ao contrário, desarme e paixão. Lewis era um defensor do leitor leigo, “comum”, ou seja, “aquele que lê sem nada esperar, que lê simplesmente porque o livro o agarra e ele não consegue mais largá-lo”. Concordo plenamente.




Sobre o autor do post:

Olá, meu nome é Fernanda, moro no RS, tenho 30 anos e sou bacharel em Sistemas de Informação. Além da tecnologia outras paixões fazem parte de minha vida: filmes, livros, músicas, fotografia. Sempre amei ler e procuro sempre estar lendo algum livro. Escrever é uma de minhas manias, além de escutar música e fotografar (de forma amadora) objetos e paisagens quando sobra tempo livre. Aqui no Bookaholic sou responsável pela seção “Bate Papo Com…”, conto com vocês para prestigiar a coluna!
E-mail: rl.nanda@yahoo.com.br



Posts Relacionados







:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


10 Comentários em “Bate Papo Com Felipe Pena”


#1 Patricia Barboza 02-06-2011 - 08:39 -
Google Chrome 11.0.696.71 Windows XP

Ahaaa! Primeira a comentar e também a complementar esta entrevista com uma fofoca sobre o moço. Hahaha! Ele nem me conhece, mas o conheço um pouco. Estudamos o Ensino Médio no Marista São José, aqui no Rio. Quando entrei no 1o ano, ele já era do 2o ano e presidente do grêmio estudantil. Não é de se espantar que trabalhe tanto, já que começou cedo! rsrsrs… Era um dos garotos famosinhos e requisitados pelas garotas. Interessante que o Marista foi uma escola de escritores, né? Infelizmente o prédio que estudamos foi desativado e metade demolido, uma tristeza realmente de se ver quando passo na porta. Mas, mesmo assim, é uma alegria muito grande retornar ao Marista, no outro prédio, para dar palestras aos alunos, como escritora e principalmente como ex-aluna. Sexta que vem retornarei pela 3a vez para uma apresentação de um trabalho sobre o livro “Sai da internet, Clarice!” que o 5o ano vai fazer. Portanto, eu e o Felipe somos a geração de escritores do Marista São José e fico muito orgulhosa disso. Gostaria de saber se existem mais como a gente! rsrsrsrs… Beijos para a Pri e todos do blog que mora no meu coração!

[Responder]

rudynalva soares responde:

Mozilla Firefox 4.0.1 Windows XP

Patrícia!
Fazendo fofoquinha, né?kkkkkk Adorei que tenha trazido novidades sobre o escritor, é bom saber um pouco mais e também,sentir-se ‘perto’ dele.
Obrigada.
cheirinhos
Rudy

[Responder]

Fernanda Rocha responde:

Mozilla Firefox 4.0.1 Windows 7

Agradecamos a contribuição :) Abraçosss Patricia!

[Responder]

Comentou pela primeira vez, seja bem-vindo!

#2 Óticas 02-06-2011 - 09:49 -
Google Chrome 11.0.696.71 Windows 7

Nossa adorei!! =)

[Responder]

Já comentou 104 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#3 rudynalva soares 02-06-2011 - 20:48 -
Mozilla Firefox 4.0.1 Windows XP

Fernanda!
Qu entrevista linda!
Parabéns!
Perguntas bem direcionadas.

Gostei muito da entrevista e ainda mais por saber que o Felipe é psicólogo. Penso como ele, as profissões são inerentes e complementares.
Sucesso!
cheirinhos
Rudy

[Responder]

Fernanda Rocha responde:

Mozilla Firefox 4.0.1 Windows 7

Obrigada Rudy !! É sempre bem vinda para dar suas sugestões, dicas, comentários… :)

[Responder]

rudynalva soares responde:

Mozilla Firefox 4.0.1 Windows XP

Fernanda!
Deixa comigo, quando tiver alguma sugestão, farei.
Boa semana.
cheirinhos
Rudy

[Responder]

Já comentou 323 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!

#4 Paty Algayer 03-06-2011 - 10:43 -
Google Chrome 11.0.696.48 Linux

Adorei a entrevista! Perguntas muito bem formuladas e muito bem respondidas!! Abraços…

[Responder]

Fernanda Rocha responde:

Mozilla Firefox 4.0.1 Windows 7

Muito obrigada Paty. Que bom que gostou, volte sempre ;)

[Responder]

Você já comentou 11 vezes.

#5 Sanzinha 06-06-2011 - 09:11 -
Google Chrome 11.0.696.71 Windows XP

Fernanda, super parabéns pela entrevista!

O Felipe foi super simpático e deu respostas fantásticas. Créditos a você, que soube formular muito bem suas perguntas. O resultado disso tudo foi o que acabei de ler e que me deixou muito satisfeita. Parabéns mais uma vez!

[Responder]

Já comentou 84 vezes e é um verdadeiro Bookaholic!