eu-e-os-livros category image
Eu e os Livros: Giu Fernandes
Friday 20/04/2012 às 19:31 4040 Views Arquivado em: Eu e os Livros

Olá, galerinha bookaholic! Tudo certo com vocês?

Eu tô por aqui, parecendo um zombie de tanto sono, mas creio que isso deve passar no final do primeiro trimestre (é minha torcida!).
Faz um tempinho que não aparecia com a coluna e isso me deixa um pouco triste, pois eu gosto muito desse espaço e da ideia, mas saibam, se eu não aparecer é porque as coisas estão difíceis, de alguma maneira, por aqui.
Mas, vamos ao que interessa: nossa participação de hoje! Oba! Hoje quem respondeu minhas perguntas e perguntas da Pri foi a Giu Fernandes. As duas, Pri e Giu, estão juntas à frente do Clube do Livro Jovem de Ribeirão Preto, e quando estávamos pensando em quem chamar, a Pri teve a ótima ideia de convidarmos a Giu. Espero que curtam, eu amei as respostas dela e gosto muito quando as respostas me surpreendem hehe. Gente, beijinho e bom fim de semana!

Tenho 19 anos, sou blogueira há quase 3 e leitora desde pequena. Faço Direito, meu gênero favorito é o YA Contemporâneo e adoro road trips! Trabalho com leitura crítica de manuscritos, mas, na verdade, meu verdadeiro emprego é ser fangirl – em tempo integral! Blog: Amount of Words Twitter: @giuufernandes

[Anna e o Beijo Francês] Anna vai pra Paris e acaba vivendo uma experiência bem bacana no novo colégio com os amigos que faz. Você também já participou de um intercâmbio, como foi a sua experiência? Como a Anna deu aquela vontadezinha de não largar seu mundinho aqui ou você “se jogou”? Em que pontos a Anna e a Giu diferem/são parecidas?

Já fiz um intercâmbio de um mês na Inglaterra! Ao contrário da Anna, eu sempre tive vontade fazer um intercâmbio, por isso fui sem pensar duas vezes! Passar um mês longe de casa foi uma das melhores experiências que eu já vivi, e imagino que para Anna também tenha sido uma (cof, St. Clair, cof). Anna tem uma compulsão por limpeza que beira a obsessão e nisso nós somos completamente iguais, eu também não sei falar Francês e também GOSTO DE USAR CAPS LOCK! Mesmo que depois a Anna tenha acabado por aceitar sua situação tão ruim na França, eu teria saído logo no primeiro dia para explorar Paris e tentar conhecer o máximo de lugares que pudesse.

[No Fundo do Amor] Se você descobrisse que é metade humana e metade sereia teria a mesma curiosidade que Lily de conhecer a vida aqui na terra ou se contentaria com sua vida no fundo do mar? Qual o melhor lado de ser humana e o melhor de ser sereia?

Antes de mais nada, seria a coisa mais legal ser sereia! Um dos meus filmes favoritos é Pequena Sereia, então digamos que eu passei uma boa parte da minha infância imaginando como seria ser uma. Mas depois ter lido No Fundo do Amor, passei a entender melhor por que as sereias gostariam de viver como humanas, e eu acho que eu teria a mesma vontade. A melhor parte de ser sereia seria, além de realizar uma fantasia de criança (!!!), conhecer o fundo do mar como nenhum ser humano poderá. Já a melhor parte de ser humana, comparada em ser sereia… vale dizer poder ler um livro?! Porque definitivamente seria algo complicado a se fazer no oceano.

[Just Listen] Annabel tem um segredo, mas vai levando a vida como se ele não fosse importante, afinal ela só colocou ele num cantinho e segue vivendo. Você consegue conviver com uma situação dessas, afinal nem todos precisam saber o que se passa na sua vida, ou você não suportaria carregar o peso de um segredo porque se importa em ser transparente?

Ao mesmo tempo que eu acho que nem todo mundo tem que saber o que se passa na sua vida – ser transparente para todos —, acho que não conseguiria guardar um segredo tão triste e desolador como o que a Annabel guardou. Eu teria que desabafar com alguém, mas talvez Annabel tivesse feito o mesmo se tivesse alguém que realmente a escutasse e se importasse — o que acaba eventualmente acontecendo! (<3) [Sendo Nikki] Em continua tendo que aguentar a vida de modelo e estrela de Nikki, e ser Nikki não é tão glamouroso assim. Se você estivesse na pele dela, assim como Em, qual parte lidaria facilmente e qual te tiraria do sério?

Eu acho que eu sou muito parecida com a Em, então a parte de desfilar, viver maquiada e bem arrumada e sempre disposta para as câmeras seria a mais cansativa, mas…. a vida romântica da Nikki também não ficaria para trás! Whew! Como a Nikki conseguia conquistar e fazer tantos garotos se apaixonarem por ela é um mistério (para mim e para Em). Mas em Sendo Nikki, provavelmente eu teria me acostumado com a vida glamourosa de Nikki, mas definitivamente não com os segredos e mais segredos que envolvem a vida de Nikki.

[Desculpa Se Te Chamo de Amor] Para ensinar ao Alex que a vida pode ser mais leve, Niki o leva em vários lugares da cidade, mostrando o que ela mais gosta de cada lugar. Se você fosse fazer um tour alto astral com alguém especial, em que lugares (do mundo, da sua cidade, enfim) você levaria esta pessoa e que comidinhas você a convidaria a experimentar?

Eu faria uma road trip! É impressionante a quantidade de lugares que a gente conhece quando viaja de carros — as pequenas cidades em que é possível conhecer mais de perto a cultura do lugar, bem como a culinária! Para relaxar, eu escolheria uma road trip pelo estado da Califórnia, nos EUA, porque além da paisagens de tirar o fôlego (praias e penhascos), tem uma Waffle House em cada cidade! É impressionante o quanto uma pessoa pode comer waffle e não enjoar!




Sobre o autor do post:

Olá, sou a Dana, moro em Curitiba (PR) e tenho 28 anos. Amo ouvir música, assistir filmes e seriados (faz um século que não consigo acompanhar nenhum, mas enfim...) e ADORO ler! Leio de tudo, mas prefiro livros de chick-lit, teen-lit e romance. Sou responsável pelos Book Tours que rolam aqui no Bookaholic.
E-mail: danadejesus84@gmail.com



Posts Relacionados








9 Comentários em “Eu e os Livros: Giu Fernandes”