resenhas category image
Perdida
Tuesday 23/09/2014 às 08:30 924 Views Arquivado em: Resenhas

Quando um livro mexe muito comigo, confesso que tenho uma certa dificuldade de escrever a resenha imediatamente. Preciso de alguns dias para digerir as palavras e sei lá, de algum forma torna-las minhas a ponto de traduzir aqui em algo que faça sentido. Parece bobagem, mas acho que se tivesse sentado aqui e apenas despejado toda a carga de sentimentos acumulada na leitura, de alguma forma eu pareceria uma gralha repetitiva com uma dezena de “OMG! Vocês precisam ler isso!”. Não que hoje eu não tenha a mesma vontade de passar esse sentimento a vocês caros leitores, mas acho que depois de assimilar melhor a narrativa e o enredo, sou capaz de expressar um pouquinho melhor as palavras rsrs… Escrever este texto alias, é até de certa forma uma maneira de me redimir. Digo isso, porque eu lia elogios e mais elogios tanto ao livro quanto a autora e achava quase exagerado. Tipo, sério, mas não é “só um romance que a garota volta no tempo”? Não, caros leitores, Perdida, é o que comecei a definir como livro da minha vida. Não sei nem bem porque me identifiquei tanto com Sofia… Talvez seja em parte pelo vicio em tecnologia que me faz escrava do smartphone e do wifi, de maneira que meus amigos estão sempre pegando no meu pé a respeito *risos*… Mas acho que principalmente, eu e ela compartilhamos uma maneira bem parecida de enxergar o amor. Eu sempre gostei de contos de fadas mas nem tanto pelo lado da realeza de príncipes e princesas em seus bailes e pompas, mas porque nessas histórias que comumente chamamos de “infantis”, o amor é infalível, imortal e soberano. Talvez isso tudo hoje em dia esteja um tanto quanto banalizado e por isso, esse resgate mais puro da “essência” do sentimento, como pano de fundo principal do relacionamento é tão singular pra mim. E o amor que Sofia desenvolve por Ian é exatamente assim, despretensioso, altruísta, avassalador e sincero. Ele faz com que Sofia reveja todos os seus conceitos de vida e até mesmo daqueles princípios que ela tinha como “essenciais” em sua vida. Ela percebe que não existe telefone, ou internet, ou seja lá qual for a facilidade do mundo moderno que valha a pena se ele não estiver em sua vida. É mais ou menos como eu penso também, perdemos tanto tempo as vezes com bobagens do nosso cotidiano quando o que na verdade o que realmente importa mora dentro de nós mesmos. Acredito também que exista um único amor mais forte na vida de uma pessoa que supere todos os outros, talvez dure, talvez não. Tanto que Sofia poderia muito bem voltar e conhecer outras pessoas, mas certamente ela nunca esqueceria Ian. O seu Ian. Ele a fazia “inteira”. Eu sei que só posso agradecer a Carina por ter escrito um livro tão perfeito. Sem exageros ou demagogias, ela merece cada virgula do sucesso que tem feito. Se meu instinto de leitora voraz estiver certo, esse sucesso só vai crescer; mesmo porque daqui pra frente, eu serei a primeira da fila aplaudindo e surtando com o anuncio de cada novo livro, afinal, nem é sempre que um livro me deixa assim… Perdida.

“Fechei meus olhos e abracei meus joelhos. Repassei mentalmente cada instante que vivi com ele, como um filme. Ao menos eu tinha isso. Ao menos, eu tive isso. Um amor tão profundo e sincero, mesmo que por poucos dias, que muitas pessoas jamais experimentam durante uma vida inteira.”

A História

PERDIDA_1394552749PSofia Alonso é o que podemos definir como uma “mulher moderna”. Independente, batalhadora, cercada de gadgets e facilidades que tinha o que se pode chamar por aí de “uma boa vida”. Não que ela tivesse o emprego de seus sonhos (ou pelo menos o reconhecimento que merecia no seu mesmo), mas ela tinha uma melhor amiga, Nina, um apartamento aconchegante, um relacionamento casual aqui e ali e assim levava sua vida. Um certo dia, após algumas cervejas a mais, ela vai ao banheiro e derruba seu celular da privada! Uma falta de sorte bem grande eu diria, mas nada muito incomum para os dias atuais. Então ela dirige-se a uma loja especializada e lhe é oferecido por uma vendedora muito misteriosa um modelo que seria “perfeito para ela”. Num primeiro momento, o aparelho parece não funcionar direito, mas um clarão repentino e… bom, ela vai parar em 1830! Antes mesmo que pudesse entender o que havia acontecido com o cenário ao seu redor e com aquela maluquice toda, Sofia é encontrada por um homem chamado Ian, que com todo o cavalheirismo que se pode atribuir a um verdadeiro “príncipe”, oferece-lhe ajuda e a leva até sua casa. No começo nossa heroína obviamente estranha, sente falta das coisas mais “básicas” como um banheiro ou mesmo geladeira para tomar um suco geladinho, mas com o tempo e a convivência com Ian, seu mundo e sua família ela inevitavelmente se apaixona. Pra quem nunca havia amado de verdade, ela reluta com o sentimento até o ultimo minuto, mesmo porque ela estava ali só de passagem, logo o universo colocaria tudo no lugar de novo e ela voltaria para o século XXI. Mas será que voltar para seu tempo depois de tudo que ela viveu no passado deixaria tudo “normal”? Será possível deixar para trás Ian, seu único e verdadeiro amor? Mas como ficar com ele e abandonar sua vida toda no tempo atual? Sofia terá que tomar uma decisão, mas nesse meio tempo, a gente se deleita com uma história apaixonante em cada pagina, dizer que super recomendo, é pouco!

Book Trailer

A Autora

33801374112522GCarina Rissi é uma leitora voraz, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo e tem um fascínio inexplicável pelo tema “amores impossíveis”. Vê nas obras de Jane Austen uma fonte de inspiração. Quando se desgruda dos livros – tanto dos que lê quanto dos que escreve –, Carina se diverte assistindo a comédias românticas ao lado da família e planejando viagens a lugares exóticos que não conhecerá tão cedo, devido ao seu pavor de avião. Ela nasceu em Ariranha, interior de São Paulo, onde mora atualmente com o marido e a filha, após ter vivido uma curta temporada na capital paulista.Seu primeiro livro, Perdida: um amor que ultrapassa as barreiras do tempo, foi publicado na Alemanha, onde entrou para as listas de mais vendidos.

Etc…

Capa e Projeto Gráfico: ★★★★★
História: ★★★★★
Narrativa: ★★★★★
Autora: Carina Rissi
Twitter: @carinarissi
Skoob: Perdida
Editora: Verus




Sobre o autor do post:

Meu nome é Priscila, mas por favor me chame de Pri, não sou uma pessoa de muitas formalidades... Sou designer e social media por formação mas larguei tudo e abri um pet shop porque sou dessas que não tem medo de largar tudo e começar de novo quantas vezes for preciso se isso me fizer feliz. Ler é um dos meus passatempos favoritos, por isso criei o Bookaholic para compartilhar com vocês um pouco do que leio e sobre o universo literário!
E-mail: priscilabraga@gmail.com



Posts Relacionados







:38 :37 :36 :35 :34 :33 :32 :31 :30 :29 :28 :27 :26 :25 :24 :23 :22 :21 :20 :19 :18 :17 :16 :15 :14 :13 :12 :11 :10 :09 :08 :07 :06 :05 :04 :03 :02 :01


2 Comentários em “Perdida”


#1 Gabi 26-09-2014 - 13:07 -
Safari 537.76.4 Mac OS X 10.9.3

Pri, eu também li dezenas de resenhas desse livro, e em todas elas o leitor falava super bem da história, da escrita e do livro, de forma geral. Mas, assim como você, eu fico tipo: “o que deve ter de TÃO incrível nessa história?”. Mas depois de ler sua resenha, vou correndo comprar. Já estou querendo há muito tempo justamente por causa do sucesso, mas agora, com sua resenha, senti que esse livro é BOM MESMO. Senti confiança nas tuas palavras.
Vou comprar e ler. Obrigada pela dica.
Beijos.

[Responder]

Você já comentou 4 vezes.

#2 Laplace Cavalcanti 29-09-2014 - 10:27 -
Mozilla Firefox 32.0 Windows 7

Nossa Priscila, esse livro é bem diferente do que eu imaginei. Eu o conhecia, mas nunca tinha lido a sinopse ou uma resenha. E você me deixou com muita vontade de lê-lo, gosto bastante de chick-lits. Mais um entrando para os meus desejados do Skoob. kkkkk

Laplace Cavalcanti
Autor de Mestre de Marionetes
http://www.laplacecavalcanti.com

[Responder]

Você já comentou 11 vezes.